terça-feira, 31 de dezembro de 2013

VENCEDORES DO 4º PRÊMIO VÁLVULA DE ESCAPE/OLHARES DA CENA 2013

E no último dia do ano de 2013 dedico esta postagem aos espetáculos e profissionais que ficaram registrados na minha memória, assim como na de muitos, com a revelação dos vencedores da 4ª edição do Prêmio Válvula de Escape/Olhares da Cena. São escolhas pessoais pautadas na qualidade dos trabalhos que passaram pelos palcos de Porto Alegre neste ano. E os vencedores são: 

DESTAQUE ESPECIAL 
BRASIL PEQUENO
Pela qualidade e originalidade do espetáculo calcado na pesquisa e vivências de Genifer Gerhardt



MAQUIAGEM
Maria Adélia - Ausência


DESIGN GRÁFICO – Identidade Visual
Diogo Liberano - Sinfonia sonho




FOTOGRAFIA DE CENA
Elenize Dezgeniski - Oxigênio




DRAMATURGIA
Aldri Anunciação - Namíbia, não!



TRILHA SONORA
Johan Alex de Souza - Medéia Vozes




ILUMINAÇÃO
PH e André Curti - Ausência



CENOGRAFIA
Tribo de Atuadores Ói nóis aqui traveiz - Medéia Vozes



FIGURINO

Tribo de Atuadores Ói nóis aqui traveiz - Medéia Vozes



ATRIZ COADJUVANTE
Adassa Martins - Sinfonia Sonho



ATOR COADJUVANTE
Fábio Osório Monteiro - TOMBÈ


ATRIZ
Tânia Farias - Medéia Vozes



ATOR
Marcos Felipe - Luís Antônio-Gabriela


DIREÇÃO
André Curti e Arthur Ribeiro - Ausência


ESPETÁCULO(s)

MEDÉIA VOZES 
 Tribo de Atuadores Ói Nóis aqui traveiz

e


LUIS ANTÔNIO - GABRIELA 
Cia Mungunzá



domingo, 22 de dezembro de 2013

INDICADOS AO 4º PRÊMIO VÁLVULA DE ESCAPE/OLHARES DA CENA

Carlos Modinger - Vencedor em 2012 na categoria Melhor Ator Coadjuvante - O Jardim das Cerejeiras.
E chegou o momento de revelar quem são os profissionais e trabalhos indicados para a 4ª edição do Prêmio Válvula de Escape. 
Saliento que as escolhas relacionadas abaixo são opiniões pessoais do autor deste blog, uma grande brincadeira, mas também uma forma de relembrar e destacar os profissionais e espetáculos que ficaram na minha memória.
Este ano já chegamos na 4ª edição do Prêmio Válvula de Escape, um prêmio virtual que não distribui troféus, estatuetas tão pouco tapetes vermelhos, nem valores em dinheiro, apenas a lembrança na memória do público. 
Então vamos deixar de delongas e revelar quem foram os indicados deste ano: 

ESPETÁCULO
A marca da água - Armazém Cia de Teatro (RJ)
Ausência – Dos à Deux (França)
Luis Antônio – Gabriela - Cia Mungunzá (SP)
Medeia Vozes – Tribo de Atuadores Ói nóis aqui traveiz (RS)
Oxigênio – Cia Brasileira de Teatro (PR)
Tombé – Dimenti (BA)

DIREÇÃO
Paulo de Moraes – A marca da água
André Curti e Arthur Ribeiro - Ausência
Nelson Baskerville – Luis Antônio Gabriela
Lazaro Ramos – Namíbia, não!
Márcio Abreu – Oxigênio

ATOR
Luis Mello – Ausência
Marcos Felipe – Luis Antônio Gabriela
Paulo Verlings - Maravilhoso
Charles Fricks – O filho Eterno
Rodrigo Bolzan – Oxigênio
Márcio Machado – Sinfonia Sonho

ATRIZ
Patricia Senlock – A marca da água
Thainá Gallo – A noite árabe
Genifer Gerhardt – Brasil Pequeno
Fernanda Petit – Fala comigo doce como a chuva
Tânia Farias – Medéia Vozes
Aline Jones - Zuccos

ATOR COADJUVANTE
Anderson Moreira Sales – Sonhos [Im] possíveis
Fábio Osório Monteiro – Tombé
Cassiano Ranzolin – Estremeço
Lucas Beda – Luis Antônio Gabriela

ATRIZ COADJUVANTE
Adassa Martins – Sinfonia Sonho
Fernanda Petit - Estremeço
Veronica Gentilin – Luis Antônio Gabriela
Carolina Pismel – Maravilhoso
Débora Lamm - Maravilhoso

FIGURINO
Ticiana Passos - Ausência
Margarida Rache – Brasil Pequeno
Cássio Brasil - Estremeço
Tribo de Atuadores Ói nóis aqui traveiz - Medéia Vozes
Camila Murano - Luis Antônio Gabriela

CENOGRAFIA
Paulo de Moraes - A marca da água
Fernando Mello da Costa - Ausência
Élcio Rossini - Estremeço
Tribo de Atuadores Ói nóis aqui traveiz - Medéia Vozes
Fernando Marés - Oxigênio

ILUMINAÇÃO
Maneco Quinderé - A marca da água
PH e Athur Ribeiro - Ausência
Luiz Acosta - Estremeço
Tribo de Atuadores Ói nóis aqui traveiz - Medéia Vozes
Nadja Naira - Oxigênio

TRILHA SONORA
Fernando Mota - Ausência
Gustavo Sarzi - Luis Antônio Gabriela
Johan Alex de Souza - Medéia Vozes
Gabriel Schwartz - Oxigênio
Viviane Juguero e Everton Rodrigues - Jogos de inventar, cantar e dançar

DRAMATURGIA
André Curti e Artur Ribeiro - Ausência
Verônica Gentilin – Luis antonio Gabriela
Diogo Liberano – Maravilhoso e Sinfonia Sonho
Aldri Anunciação – Namíbia,Não!
Patricia Silveira – Sonhos [Im]possíveis

NOVAs CATEGORIAs
Neste ano surgiu três novas categorias no Prêmio Válvula de Escape. "Fotografia de Cena", é uma homenagem àqueles profissionais dedicados a registrarem o efêmero da arte teatral, através de suas lentes e que muitas vezes são esquecidos, dedico esta categoria ao mestre Cláudio Etges, importante fotógrafo da cena gaúcha. Outra categoria nova é a "Design Gráfico", dedicado ao profissionais responsáveis pela identidade de todo um projeto, e que as vezes são um espetáculo a parte. Considera-se aqui os cartazes, programas e fôlder que apresentam o espetáculo. E a categoria "Maquiagem" que destaca o trabalho feito pelos maquiadores que transformam a figura do ator em personagem.

FOTOGRAFIA DE CENA
Mauro Kury - A marca da água
Renato Mangolin - Ausência
Pedro Isaias Lucas - Medéia Vozes
Elenize Dezgeniski - Oxigênio
Bruno Gomes e Kati Wichinieski - Jogos de inventar, cantar e dançar 

DESIGN GRÁFICO – Identidade Visual
Jopa Moraes - A marca da água
Luiza Mendonça - A noite árabe
Terreira da Tribo - Medéia Vozes
Diogo Liberano - Sinfonia sonho
Daniel Soares - Sonhos [Im] possíveis
Propaganda Futebol Clube - Jogos de Inventar, cantar e dançar

MAQUIAGEM
Maria Adélia - Ausência
Tribo de Atuadores Ói nóis aqui traveiz - Medéia Vozes

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

4º PRÊMIO VÁLVULA DE ESCAPE - PORTO ALEGRE


FIM DE PARTIDA - Espetáculo vencedor da edição de 2012

Já é tradição aqui no blog o Prêmio Válvula de Escape. A cada final de ano eu elenco todos os espetáculos que assisti durante o ano, faço as devidas indicações destacando segundo critérios pessoais cada categoria para em seguida eleger os melhores do ano. Este ano será um pouco diferente, pois até ano passado entravam na lista apenas os espetáculos que se apresentavam na cidade de Montenegro e este ano devido meu retorno a Porto Alegre, farei a 4ª edição do Prêmio, porém a 1ª edição dedicada aos espetáculos que passaram pelos palcos da capital. Evidencio que como é uma eleição independente e acima de tudo uma grande brincadeira, apenas entram aqui os espetáculos aos quais assisti, sendo que não assisti a todos os espetáculos em cartaz, as vezes por questões de tempo, as vezes por questões financeiras (as cortesias são muito bem vindas!)  valendo para todos os espetáculos tanto os do estado quanto os visitantes. Confira nos links abaixo os vencedores das edições anteriores:
 
Poderão participar da votação os 40 trabalhos que assisti:
 
1.A Cotovia e a Rosa (RS)
2.A marca d'água (RJ)
3.A noite Árabe (RS)
4.Andróginos (RS)
5.Antígona(RS)
6.Arte (RJ)
7.Ausência (França)
8.Brasil Pequeno (RS)
9.Desplante.doc (BA)
10.Dois Perdidos (RS)
11.Domínio Público (ESPANHA)
12. Estremeço (RS)
13.Eu, Álvaro de Campos (RS)
14.Fala comigo doce como a chuva (RS)
15.Liquidação (RS)
16.Luís - Antônio Gabriela (SP)
17.Maravilhoso (RJ)
18.Medeia Vozes (RS)
19.Namíbia, não! (BA)
20.Nós!(em off) (RS)
21.O idiota experimental (RS)
22.O filho eterno (RJ)
23.O Homem mais sério do mundo (RS)
24.O Mágico de Óz (RS)
25.O rei da vela (RS)
26.Oxigênio (RS)
27.Padox dans em lá cite (FRANÇA)
28.Príncipes e princesas, sapos e lagartos (RS)
29.Quando eu tinha (RS)
30.Sinfonia Sonho (RJ)
31.Shopping and Fucking (RS)
32.Sonhe (RS)
33.Sonhos impossíveis (RS)
34.Teto de Vidro (RS)
35.Tombè (BA)
36.Tudo pode dar certo (RS)
37.V ao Cubo (RS)
38.Vida Alheia (RS)
39.Zuccos (RS)
40. Jogos de Inventar, Cantar e Dançar (RS)

Nos próximos dias os indicados...

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Tribunal libera editais culturais voltados exclusivamente para negros


O TRF da 1.ª Região liberou a execução de concursos culturais referentes a editais do Ministério da Cultura (MinC) destinados exclusivamente a pessoas negras que trabalhem com linguagens de cinema, de literatura, de pesquisa de bibliotecas, de artes visuais, de circo, de música, de dança e de teatro. A decisão resulta da votação da 5.ª Turma do Tribunal no julgamento de agravo de instrumento interposto pela União, reformando, por maioria, decisão do juízo da 5.ª Vara Federal do Maranhão, que, em ação popular, determinara a imediata suspensão de todo e qualquer ato de execução dos concursos.

Editais impugnados – o MinC lançou quatro programas questionados pela ação popular: fomento a seis obras audiovisuais de curta-metragem, dirigidos ou produzidos por jovens negros, de 18 a 29 anos, com temática livre; seleção de projetos de pesquisa para concessão de bolsas, propostos por pesquisadores negros, visando incentivar a produção de trabalhos originais, em território brasileiro; formação de parcerias para o desenvolvimento de projetos editoriais sob a forma de coedição, a fim de produzir publicações de autores brasileiros negros na forma de livros, em meio impresso e/ou digital, com o propósito de divulgar, valorizar, apoiar e ampliar a cultura brasileira dos afrodescendentes em geral e dar maior acessibilidade a sua produção cultural, artística, literária e científica; e premiação de 33 projetos nas áreas artes visuais, circo, dança, música, teatro e preservação da memória realizados por proponentes autodeclarados negros (pretos e pardos, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE).
Na decisão agravada, o magistrado considerou que, “embora o Estado tenha o dever de fomentar medidas administrativas com feição político-afirmativa, oferecendo, por assim dizer, tratamento preferencial a grupos historicamente discriminados da sociedade brasileira”, os editais em questão “não se harmonizam com o princípio da isonomia”, porquanto programas “com o propósito de proporcionar exclusivamente aos produtores e artistas negros oportunidade de acesso a condições e meios de produção artística”, excluem “artistas brasileiros que pertençam às demais etnias”, “naturalmente impedidos de desfrutar desse programa”.
Em seu voto, o Desembargador Federal João Batista Moreira destacou que a Lei n. 8.666/93 veda “cláusulas ou condições que comprometam, restrinjam ou frustrem” o “caráter competitivo”. Assim, numa concepção positivista, para excepcionar essas regras, ainda que com a nobre finalidade de destinar os concursos, a título de ação afirmativa, exclusivamente a negros e pardos, haveria, no mínimo, a necessidade de outra lei.
Admitiu, ainda, que as cotas sociais não eliminam a competição; apenas estabelecem vantagem para as minorias, no ponto de partida. A par disso, concluiu o Relator que não faz muita diferença destinar aos negros a fatia de um programa ou um programa inteiro dentro de um conjunto de programas. Essa é a conclusão mais válida no caso, porque os programas instituídos não são de execução continuada, tal como acontece em curso universitário.Por fim, acentuou que, no caso, a justiça da discriminação define-se pela relação lógica e razoável entre o critério empregado e o fim que se busca alcançar.
Processo n.º 0029353-66.2013.4.01.0000
Data do julgamento: 04/12/2013
Assessoria de Comunicação Social
Tribunal Regional Federal da 1.ª Região

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

INDICADOS AO PRÊMIO AÇORIANOS e TIBICUERA 2013



Medéia Vozes - espetáculo indicado em 10 categorias
E ontem a noite no Teatro Renascença foi revelado os indicados à principal premiação de artes cênicas de Porto Alegre. A premiação é  realizada pela Secretaria da Cultura de Porto Alegre e os nomes foram anunciados por Breno Ketzer, Coordenador de Artes Cênicas da Secretaria da Cultura de Porto Alegre.  

Também conferimos o ótimo espetáculo "Música de Cena" de Arthur de Faria, com a participação dos artistas Áurea Baptista, Diego Steffani, Marina Mendo, Frederico Vittola, Gustavo Susin, Jéferson Rachewsky, Marcello Crawshaw, Pingo Alabarce, Valquiria Cardoso e Ursula Collischonn.

Os indicados serão analisados por uma comissão julgadora que definirá os vencedores em cada categoria. Os resultados serão revelados no evento de premiação, marcado para o dia 13 de dezembro, em uma celebração das artes cênicas no Teatro Renascença.

INDICADOS AO PRÊMIO AÇORIANOS e TIBICUERA 2013


TIBICUERA
A menina do cabelo vermelho - 8 indicações ao Tibicuera

E no Prêmio Tibicuera o espetáculo "A menina do cabelo vermelho" lidera as indicações em 8 categorias, seguidos por "Quaquarela" que foi indicado em 7 categorias e "Príncipes e Princesas, sapos e lagartos" com 6 indicações. 

1) Melhor Espetáculo
Príncipes, Princesas, Sapos e Lagartos
Quaquarela

2) Melhor Direção
Adriane Mottola por Príncipes e princesas, sapos e lagartos – Histórias modernas de tempos antigos
Carla Vendramin e Plínio Marcos Rodrigues por O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá
Daniel Colin por A Menina do Cabelo Vermelho
Viviane Juguero por Quaquarela

3) Melhor Ator
Éder Rosa por Quaquarela
Duda Cardoso por Príncipes e princesas, sapos e lagartos – histórias modernas de tempos antigos

4) Melhor Atriz
Fernanda Petit por Príncipes e princesas, sapos e lagartos – histórias modernas de tempos antigos
Viviane Juguero por Quaquarela

5) Melhor Ator Coadjuvante
Daniel Corrêa por O gato malhado e a andorinha sinhá
Douglas Dias por A menina do cabelo vermelho
Roger Santos por Aventura no Mundo dos Sonhos

6) Melhor Atriz Coadjuvante
Daiane Oliveira por Aventura no Mundo dos Sonhos
Daiane Oliveira por O Gato de Botas – quem disse que o cão é o melhor amigo do homem?
Diana Manenti – A Menina do Cabelo Vermelho

7) Melhor Figurino
Cláudio Benevenga - A Menina do Cabelo Vermelho
Titi Lopes - Aventura no Mundo de Sonhos

8) Melhor Cenografia
Adriane Mottola, Duda Cardoso e Fernanda Petit - Príncipes, Princesas, Sapos e Lagartos
Las Brujas Cia. de Teatro e Mario Cavalheiro por A Menina do Cabelo Vermelho
Lucas Krug por O Gato de Botas – quem disse que o cão é o melhor amigo do homem?

9) Melhor Iluminação
Bathista Freire por O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá
Leandro Gass por A Menina do Cabelo Vermelho
Ricardo Vivian por Príncipes e princesas, sapos e lagartos – histórias modernas de tempos antigos

10) Melhor Trilha
Cuca Medina por O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá
Toneco da Costa por Quaquarela

11) Melhor Dramaturgia
Daniel Colin e Lolita Goldschmidt por A Menina do Cabelo Vermelho
Viviane Juguero por Quaquarela

12) Melhor Produção
Bando de Brincantes por Quaquarela
Diana Manenti e Lolita Goldschmidt por A Menina do Cabelo Vermelho
Sandra Narcizo por Gato de Botas – quem disse que o cão é o melhor amigo do homem?
Viviane Falkembach por O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá

AÇORIANOS
Clique para visitar o post original
Miragem - espetáculo indicado em 10 categorias

Liderando a lista de indicações deste ano temos dois espetáculos: Medéia Vozes e Miragem com 10 indicações cada um, seguidos por Natalício Cavalo que concorre em 9 categorias, abaixo todos os indicados: 

1) Melhor Espetáculo
CNPJ - uma comédia totalmente ficcional
Marxismo, Ideologia e Rock’n’roll
Medeia Vozes
Miragem
Natalício Cavalo

2) Melhor Direção
Camila Bauer por Estremeço
Lisandro Bellotto e Marina Mendo por Miragem
Luciano Alabarse e Margarida Peixoto por Marxismo, Ideologia e Rock’n’roll
Patrícia Fagundes por Natalício Cavalo
Tribo de Atuadores Oi Nóis Aqui Traveiz por Medeia Vozes

3) Melhor Ator
Alexandre Borin por Quem tem medo?
Evandro Soldatelli por A Mulher do Padeiro
João Pedro Madureira por A Noite Árabe
Ricardo Zigomático por CNPJ – uma comédia totalmente ficcional
Rossendo Rodrigues por Natalício Cavalo

4) Melhor Atriz
Áurea Batista por Marxismo, ideologia e Rock’n’roll
Juliana Kersting por CNPJ – uma comédia totalmente ficcional
Marina Mendo por Miragem
Tânia Farias por Medeia Vozes
Tefa Polidoro por Quem tem medo?

5) Melhor Ator Coadjuvante
Alexandre Borin por O Estranho Cavaleiro
Carlos Cunha Filho por Marxismo, ideologia e Rock’n’roll
Lauro Ramalho por Estremeço
Marcelo Mertins por Miragem
Tiago Demetrio por Os dez mandamentos da Capital

6) Melhor Atriz Coadjuvante
Fernanda Petit por Estremeço
Liane Venturella por O Estranho Cavaleiro
Marta Haas por Medeia Vozes
Sofia Salvatori por Estremeço
Thainá Gallo por A Noite Árabe 

7) Melhor Figurino
Antonio Rabadan por O Apanhador
Cássio Brasil e Duda Cardoso por Estremeço
Daniel Lion por Natalício Cavalo
Itiana Pasetti por Miragem
Tribo de Atuadores Oi Nóis Aqui Traveiz por Medeia Vozes

8) Melhor Cenografia
Bruno Salvaterra por A Noite Árabe
Rodrigo Shalako por Miragem
Rodrigo Shalako por Natalício Cavalo
Tribo de Atuadores Oi Nóis Aqui Traveiz por Medeia Vozes
Zoé Degani por A Mulher do Padeiro

9) Melhor Iluminação
Bathista Freire por Miragem
Lucca Simas por Natalício Cavalo
Luiz Acosta por Estremeço
Nara Maia por A Mulher do Padeiro
Tribo de Atuadores Oi Nóis Aqui Traveiz por Medeia Vozes

10) Melhor Trilha
Alexandre Missel e Marina Mendo por Miragem
Álvaro RosaCosta por O Estranho Cavaleiro
Arthur de Faria por Natalício Cavalo
Johann Alex de Souza por Medeia Vozes
Thedy Corrêa por O Apanhador

11) Melhor Dramaturgia
Daniel Colin e Thais Fernandes por CNPJ – uma comédia totalmente ficcional
Tribo de Atuadores Oi Nóis Aqui Traveiz por Medeia Vozes
Marina Mendo por Miragem
Povo da Rua por Os dez mandamentos da capital
Patrícia Fagundes, com a colaboração da equipe por Natalício Cavalo

12) Melhor Produção    
Fernando Zugno e Miguel Arcanjo por Marxismo, Ideologia e Rock’n’roll
Gustavo Susin por O Apanhador
Marina Mendo e Renata Nascimento por Miragem
Patrícia Fagundes por Natalício Cavalo
Tribo de Atuadores Oi Nóis Aqui Traveiz por Medeia Vozes

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

INDICADOS AO PRÊMIO REVELAÇÃO MAIS TEATRO 2013

E hoje foram conhecidos os indicados ao Prêmio Revelação Mais Teatro 2013, dos espetáculos que fizeram parte dos projetos Teatro Aberto, Novas Caras e Teatro na Companhia. Foram ao todo 19 espetáculos que a comissão assistiu ao longo do ano e selecionou três em cada categoria. A comissão foi composta por Diego Ferreira, Dennys Almeida, Paulo Roberto Farias, Marcelo Johann e o Coordenador de Artes Cenicas Breno Ketzer Saul. A revelação dos vencedores será no dia 13 de dezembro no Teatro Renascença.
E os indicados são: 

MELHOR ATRIZ

Aline Jones por Zuccos

Franciele Aguiar por Sonhos [Im] Possíveis 


Genifer Gerhardt por Brasil Pequeno



MELHOR ATOR 

Diego Acauan por Sonhe


Frederico Vittola por Zuccos

Gabriel Motta por Vida Alheia


MELHOR DIREÇÃO

Everson Silva por Nós (em off!)


Mauricio Casiragui por Liquidação


Patricia Silveira por Sonhos [Im] Possíveis 


MELHOR ESPETÁCULO 

BRASIL PEQUENO


SONHOS [IM]POSSÍVEIS


ZUCCOS




quinta-feira, 28 de novembro de 2013

VII ENCONTRO DE ARTE DE MATRIZ AFRICANA

Panorama de Arte Negra Contemporânea

De 4 a 8 de dezembro de 2013 - Porto Alegre-RS

Espetáculo JANDIRA
Atividades gratuitas no Centro Municipal de Cultura, em Porto Alegre, promovem a troca de experiências e saberes entre grupos locais e de outros estados brasileiros 


Realiza-se de 4 a 8 de dezembro, o VII Encontro de Arte de Matriz Africana, promovido pelo Caixa-Preta com o objetivo de ser uma janela panorâmica para a produção artística negra no Brasil. O Grupo se afirma não somente como um núcleo de produção teatral, mas como um polo irradiador de ações no campo da cultura negra contemporânea, promovendo atividades como o Encontro de Arte de Matriz Africana, a Revista MATRIZ, a primeira no Brasil especializada em artes negras, além do trabalho de produção, formação e pesquisa no campo teatral, tendo produzido espetáculos como Hamlet Sincrético, Antígona BR, O Osso de Mor Lam, entre outros. As atividades terão lugar no Teatro Renascença e Sala Álvaro Moreyra, ambas no Centro Municipal de Cultura (Av. Erico Verissimo, 307), em Porto Alegre. 

A cada ano é eleito um eixo temático para o Encontro. Este ano temos como foco a performance e a dança negra. Na primeira edição foi a aproximação dos grupos de teatro e dança do Estado; na segunda, a noção de locais de trabalho dos núcleos como espaços quilombolas; na terceira edição o conceito de compartilhamento das experiências e na última edição o eixo escolhido foi o teatro negro e suas linguagens contemporâneas. 

Entre os nomes que já estiveram no Encontro desde sua primeira edição pode-se citar: Carmen Luz, Rubens Barbot, Hilton Cobra, Rodrigo Santos, Gustavo Melo, Débora Almeida, Iléa Ferraz, (RJ), Rui Moreira, Gil Amâncio (BH), Edson Cardoso, Cristiane Sobral (DF), Luiz de Abreu, Maria Gal, José Fernando Azevedo, Sidney Santiago (SP), Toni Edson (Florianópolis), Evani Tavares, Ângelo Flávio (Salvador), Júlio Moracen (Cuba) Daniel Amaro (Pelotas), Cia Os Crespos (SP), Kleber Lourenço (Recife), Wagner Carvalho (Alemanha), Oliveira Silveira, Baba Diba de Yemonjá, Grace Petersen, Sirmar Antunes, José Carlos dos Anjos, Loma, Iara Deodoro (RS), entre outros. 


Este ano, o Caixa-Preta oferece as seguintes atrações: 

A abertura, dia 4 de dezembro, às 20h, no Teatro Renascença, ficará a cargo de NASCIMENTO, da Companhia Rubens Barbot, bailarino gaúcho radicado no Rio de Janeiro há mais de duas décadas. O solo apresentado pela Companhia terá Eder Martins em cena e direção e coreografia de Gatto Larsen. 


BLEM, BLEM, BLEM, da Taltex – Cuba apresenta-se na quinta, 5 de dezembro, 21h, na Sala Álvaro Moreyra. A montagem conta a história de um percussionista cubano, rumbero – tocador de rumba – que faz uma viagem do Oriente (sur) ao Ocidente(norte) de Cuba, recriando sua formação musical através das contingências que a vida lhe proporciona. Seu objetivo fundamental é ser famoso e para isso emigra para Havana, a capital cubana. Ali, se enamora de uma jovem, até sofrer a decepção de uma separação. 

Na sexta, 6 de dezembro, às 21h, na Sala Álvaro Moreyra, apresenta-se BATUQUE, TUQUE, TUQUE, espetáculo poético-musical com as atrizes Vera Lopes e Pâmela Amaro, com poemas de Oliveira Silveira. 

RECEITA, dia 7 de dezembro, às 21h, na Sala Álvaro Moreyra, é uma coreografia preciosa, que nasceu da parceria de dois grandes talentos da dança brasileira: Henrique Rodovalho e Rui Moreira. Rodovalho é um coreógrafo de Goiânia/GO, que colaborou para construir a identidade do Grupo Quasar, hoje uma das companhias mais importantes do Brasil. MOREIRA é um bailarino especial, paulistano radicado em Belo Horizonte/MG, que desenvolveu uma importante e esplendorosa participação no Grupo Corpo/ MG, e hoje dirige a Rui Moreira Cia. de Danças. No início de 2002, Rodovalho e Moreira se reuniram para criar RECEITA, um estudo que contrapõe o procedimento culinário à arte de dançar, compondo uma bem-humorada metáfora para o exercício de composição. 

JANDIRA, da Visível, Núcleo de Dança, PE/SP é um espetáculo de dança com o bailarino pernambucano Kleber Lourenço. Ele já esteve na quinta edição do Encontro com Negro de Estimação e no Porto Alegre em Cena. A obra apresentada este ano, JANDIRA, é um espetáculo solo que realiza em pesquisa a junção de princípios conceituais de linguagens artísticas específicas: teatro, dança e performance, partindo da literatura como construção dramatúrgica. E obtém como resultado de cena a fusão estética destas linguagens. A apresentação será no dia 08 de dezembro, às 19h, na Sala Álvaro Moreyra, seguida de bate-papo com o público. 

Haverá uma exposição comemorativa aos 7 anos de Encontro de Arte de Matriz Africana, no Saguão do Centro Municipal de Cultura, durante o período de realização do Encontro. 

Ainda ocorre, na quinta, 5 de dezembro, às 18h, na Sala Álvaro Moreyra, uma palestra com a pesquisadora Leda Martins, “Performance Negra, Experiência, Pesquisa e Ação”. Ela é autora de A Cena em Sombras/Perspectiva e Afrografias da Memória/Perspectiva-Mazza. 

No dia 6 de dezembro, às 19h, na Sala Álvaro Moreyra, haverá o debate “Produção Cultural, Diversidade e Mercado de Trabalho”. Participam gestores públicos, artistas e produtores, que discutirão o mercado cultural numa perspectiva de inclusão étnico-racial. 

Ressalta-se, por fim, a realização da oficina “O Corpo Brincante”, ministrada pelo bailarino e coreógrafo Kleber Lourenço. A oficina de dança contemporânea terá como foco a investigação corporal e a reflexão das poéticas do corpo e da cena, no diálogo com as tradições populares do nordeste brasileiro: danças populares, folguedos, etc. 

Assessoria de Imprensa: Silvia Abreu (MTB 8679-7) 

Fones: (51) 9277.2191 / 85404114