sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

O BORDEL DAS IRMÃS METRALHAS (RS)


4, 5, 6, 7, 8 e 9 de fevereiro


Cinco personagens à beira de um ataque de nervos, no melhor estilo Almodovar. No melhor estilo teatro de revista, abusa do colorido dos figurinos, da dublagem, da versatilidade dos atores e da empatia com a plateia.
Horário: às 21h
Local: Teatro Renascença

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

LAS QUATRO ESQUINAS (RS)


31 de janeiro; 1 e 2 de fevereiro

Dança flamenca da Cia DEL PUERTO. 
Horário: às 21h
Local: Teatro Renascença

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

O QUE OS HOMENS PENSAM QUE AS MULHERES PENSAM (RS)


31 de janeiro; 1 e 2 de fevereiro

Comédia que apresenta o conflito entre quatro homens que se encontram em um banheiro público onde, para satisfazer a vontade de um deles, são representados diversos personagens, situações e lugares diferentes colocando em evidência o gosto feminino. 
Horário: às 21h
Local: Teatro de Câmara Túlio Piva

HOMENS DE PERTO 2 (RS)


Dias 30,31 de Janeiro e 01 e 02 de Fevereiro - 21h
Teatro da AMRIGS
Temporada da montagem estrelada por Oscar Simch, Rogério Beretta e Zé Victor Castiel. Misturando música, dança e humor, a peça aborda temas como o ocultismo e o universo feminino, além de propor um cômico separatismo entre o Rio Grande do Sul e o Brasil.

SEXO, MENTIRAS E GARGALHADAS (RS)


Dias: 31 jan, 1º e 2 fev (sexta, sábado e domingo).
Hora: 21h.
Local: Teatro Bruno Kiefer – 6º andar CCMQ.

Paulo Adriano, Pablo Capalonga e Cláudio Benevenga se revezam em seis tipos cômicos, que transitam pelo universo do sexo. São eles: a apresentadora de televisão e sexóloga Shana; o nerd Rogério, com suas dicas e investidas no mundo virtual; a surpreendente idosa Isolina, na sua radical mudança de estilo de vida; o ingênuo garoto de programa Joselito, em sua busca pelo estrelato nos palcos da noite; a fogosa mulata e madrinha de bateria Rosimar e suas aventuras pelo mundo; e o aspirante a cantor Stevenson do Cavaco, no lançamento de seu primeiro CD. Com suas divertidas histórias e mentiras, estes carismáticos peronagens garantem muita diversão e gargalhadas, num espetáculo totalmente leve e divertido, que tem no encerramento um grande número musical, feito ao vivo pelos três atores, com música, coreografias, gelo seco e efeitos especiais de iluminação. A direção e texto são assinados por Cláudio Benevenga.

Duração: 1h10min.
Classificação: 14 anos

O ASSASSINATO DE SANTIAGO AGUIRRE (RS)

Dias: 31 jan, 1º e 2 fev (sexta, sábado e domingo).
Hora: 21h.
Local: Teatro Carlos Carvalho – 2º andar CCMQ

Escrito e dirigido por Dennys D’Almeida, o espetáculo trata da intensidade das relações de amizade e propõe ao público uma reflexão sobre os relacionamentos e os reais valores do ser humano na atualidade. O milionário e introspectivo Santiago Aguirre promove uma festa para compartilhar, com os que fazem parte de suas relações afetivas, uma revelação que mudará o rumo de sua vida e nesta mesma noite é assassinado. Eis que nasce a certeza de que há um assassino entre os amigos do milionário e assim começa a corrida conta o tempo, a fim de descobrir quem é o assassino e o que o levou a matar Santiago Aguirre.

Duração: 1h40min.
Classificação: 14 anos.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

BAILEI NA CURVA (RS)

"Bailei na Curva" completa 30 anos com turnê e participação de veteranos Félix Zucco/Agencia RBS

Dia 30 de Janeiro - 21h
Teatro do Bourbon Coutry
Bailei na Curva estreou no mesmo ano em que começava o movimento pelas eleições diretas no Brasil e fez parte de um conjunto de peças que relatavam a experiência dos que cresceram durante a ditadura militar. A história se passa em três décadas: mostra os personagens ainda crianças no dia do golpe, passa pela adolescência nos anos 1970 e termina no início da década de 1980, em meio aos dilemas do futuro. Entre os diferenciais da produção, estava a linguagem repleta de gírias, que emulava a dicção dos jovens. O texto foi costurado por Júlio Conte a partir de improvisações do elenco: Claudia Accurso, Cláudio Cruz, Hermes Mancilha, Lúcia Serpa, Márcia do Canto, Regina Goulart e Flávio Bicca Rocha, este também compositor da música-tema Horizontes. Falando de “um porto não muito alegre”, a canção se descolou da peça, tornando-se uma espécie de hino informal da Capital.O espetáculo foi um sucesso imediato de crítica e de público. Levou um prêmio especial no Açorianos de 1983. 

O ESTRANHO CAVALHEIRO (RS)


Num lugar esquecido pelo tempo, velhos doentes e embriagados de dor e riso vivem seus últimos momentos em atroz monotonia. Em uma noite sinistra, sinos misteriosos anunciam a chegada de um estranho visitante, cuja presença, tão aguardada e tão temida, instaura o caos e revela o destino em sua paradoxal crueldade.
Esta peça nasce do texto homônimo do autor belga Michel de Ghelderode. Escritor e dramaturgo conhecido como um dos precursores do teatro do absurdo, fez crítica à sociedade moderna através de temas e figuras medievais. Nesta peça utiliza a imagem grotesca do bufão para expor, numa fusão apoteótica de horror e beleza, a fragilidade e os mais intrínsecos temores da humanidade.
FICHA TÉCNICA:
Texto: Michel de Ghelderode
Direção: Irion Nolasco
Assistência de direção: Daniel Fraga
Iluminação: Luiz Acosta
Figurino: Rô Cortinhas
Trilha sonora original: Álvaro RosaCosta
Preparação de elenco: Inês Marocco
Elenco: Alexandre Borin, Carolina Diemer, Daniel Fraga, Franciele Aguiar, Liane Venturella e Luiz Antônio Santos
Arte Gráfica: Daniel Soares Duarte
Fotos: Jeferson Botega
Gravação e edição de imagens: Jerri Dias
Assessoria de imprensa: Léo Santanna 
Produção: Satori Associação Teatral
Realização: Secretaria de Estado da Cultura, Teatro de Arena de Porto Alegre e Satori Associação Teatral
Apoio: FM Cultura, TVE, Casa de Cultura Mario Quintana e Centro Histórico Cultural Santa Casa
Duração: 45 min.
Classificação: 12 anos

domingo, 26 de janeiro de 2014

AI DE TI DOROTHY PARKER! (RS)

“ai de ti, Dorothy Parker!” é um espetáculo teatral livremente inspirado nos contos da escritora americana Dorothy Parker e dos escritores brasileiros Rubem Fonseca e Michael Melamed, que dão vida a essa comédia amarga e hilariante!
A peça recria situações do cotidiano através de seus personagens: uma senhora que sonha em conhecer um artista negro e tenta disfarçar seu racismo eminente; um diretor de teatro que gosta de dizer verdades a seu público; um casal em crise nas primeiras horas de sua lua de mel por acreditar que depois de casados tudo muda. 

Serviço:
"ai de ti, Dorothy Parker"
Porto Verão Alegre 2014 
Dias: 28, 29 e 30 de janeiro
Hora: 21 horas 

Direção: Pilly Calvin e Léo Maciel
Atores: Alexandre Cardoso e Pitti Sgarbi
Produção: Pitti Sgarbi
Iluminação: Fernando Ochôa
Cenografia: Léo Maciel
Fotos Divulgação: Gisa Fenner
Artes Gráficas: Marcos Verza 

5º ANDAR (RS)


28, 29 e 30 de janeiro

Comédia que acontece numa loja no dia da Grande Liquidação Anual.
Horário: às 21h
Local: Teatro de Câmara Túlio Piva

TODA FEITA (RS)

28 a 30 de Janeiro - 21h
TEATRO DE ARENA
Nunca o teatro gaúcho representou o universo homossexual como nessa peça. O enredo mostra uma transexual que se nega usar uma máscara criada pela sociedade heteronormativa, atrás da qual é obrigada a esconder-se. Berna Herculine não se constitui como um corpo único, mas como corpos diversos que se completam e se multiplicam na medida em que vão sendo rebelados ao espectador.

Ficha Técnica:
Texto e direção: Pedro Delgado; elenco: Everton Barreto, Douglas carvalho, Jean Netto e Pedro Delgado; Iluminação; Criação: Leandro Gass e operação de Leonardo Bizarro; figurinos: Teatro Lá em Casa; fotos: Vilmar Carvalho.
Ficha Técnica:
Texto e direção: Pedro Delgado
Elenco: Everton Barreto, Douglas Carvalho, Jean Netto e Pedro Delgado
Criação de Luz: Leandro Gass
Operação de Som: Leandro Ribeiro
Fotos: Vilmar Carvalhoho. 

Duração: 55 minutos
Faixa etária: 14 anos

PIPOCAS DE PAPIRO (RS)


Dias: 28 a 30 jan (terça a quinta).
Hora: 21h.
Teatro Bruno Kiefer – 6º andar CCMQ
Mais recente trabalho da Cia. Déjà-vu, que há mais de dez anos está em cartaz nos palcos gaúchos com Adolescer, que promete transportar o público à magia e mistério do Antigo Egito. Escrita pelo carioca Ricardo Mack Filgueiras, vencedor do premio de dramaturgia infantil do MEC, em 1975, foi encenada pela primeira vez em 1976, sendo inédita em Porto Alegre. Dirigida por Vanja Ca Michel, a montagem é voltada para o público adolescente, em especial, mas também é apreciada por crianças e adultos.

Releitura de A Múmia de Zut-Krankshamen, que o autor escrevera e encenara em 1964 com seu grupo, o Teatro da Garagem (Rio de Janeiro), a peça foi atualizada e adaptada por Vanja, que percebeu a falta de espetáculos voltados aos adolescentes no cenário local.  Visando o movimento artístico global, pesquisou sobre todos os mistérios do Antigo Egito, aperfeiçoou cenas e traz com tecnologia e criatividade uma produção com ares de modernidade. Assim, os personagens andam de bicicleta, skate, surfam, usam tablet, falam ao celular e pelo Facebook, ouvem ipod, usam GPS, não comem chocolate com medo de engordar, além de muitas outras surpresas.
Em meio a faraós, usurpadores e hipnotismos, assuntos como bullying, preconceito, tolerância, amor, traição, política, comportamento, ética, o bem e o mal também estão no mote desta divertida trama. A montagem marca o retorno aos palcos do figurinista Antonio Rabadan, como Grande Sacerdote e da própria Vanja Ca Michel, como Nefrartrites, esposa do Faraó, que atua ao lado do reconhecido João Carlos Castanha, como Faraó Zut Zut Zut.

Sinopse
Jovem faraó loucoe tem como maior preocupação treinar pulgas para corridas. Casado com uma mulher antenad, tem dois filhos adolescentes: uma filha “roqueira”, que não gosta de entorpecentes e sonha com o apoio do pai para bancar uma espécie de Rock in Rio, no Nilo e o filho seguidor da tendência high tech: ouve ipod e conecta-se no twitter e Facebook pelo Iphone, joga videogame, anda de skate nas pirâmides e surfa no rio Nilo, tendo um misterioso amor virtual com a bela escrava de sua irmã. Por ser afrodescendente, deixa dúvidas quanto à fidelidade de sua mãe, esposa do Faraó. O que movimenta a trama são quatro vilões, que pretendem tomar o poder bolando um plano: ir para Creta e roubar um bastão hipnótico que transforma toda a família real em outras pessoas. Esse plano faraônico cria uma dinâmica de diálogo com o público, que se diverte com os diferentes papéis que cada governante do Antigo Egito assume. Assim, uma desgraça pode cair sobre o Egito! Tem ainda um guerreiro surdo que se localiza através de GPS e seus dois escravos hititas, que juntos podem salvar o Egito desta desgraça.

Duração: 1h.
Classificação: Livre.

MEDIDA PROVISÓRIA: SETE DRAMAS SOBRE A FALTA DE ESPAÇOS (RS)

Radicalidade cênica em forma de protesto
Medida provisória começa rompendo com a percepção tradicional, exigindo uma participação física da platéia, por meio de inserção no espaço cênico totalmente branco, onde a mistura entre atores e público auxilia, a priori, a descondicionar o olhar dos espectadores e a partir daí instaurar uma nova perspectiva, a de espectador-testemunha. A partir daí somos convidados a testemunhar um espetáculo que destila teatralidade calcada numa dramaturgia que mescla ficção e realidade. Segundo Pavis, a teatralidade é a espacialidade, a visualidade e a expressividade da cena. E acrescento que a teatralidade em Medida Provisória é a fissura provocada pela leitura do diretor Madureira, com a dramaturgia de Liberano. Não existe ilusão, tudo está lá, são pouco elementos, todos muito bem articulados a serviço da denúncia. Mas não se trata de denúncia panfletária, com discursos mofados, pelo contrário, é um espetáculo político assim como toda a arte deve ser política, mas não uma política vazia, trata-se de uma denúncia necessária que serve como alerta, até mesmo para o elenco que está dando seus primeiros passos no teatro, mas que já vem com esse olhar desglamourizado acerca de sua profissão. 
O espetáculo é repleto de metáforas, a começar pelo espaço branco, oco, vazio, justamente num trabalho que trata sobre a "falta" de espaços públicos dedicados a arte. Mas se a estética brinca com a questão da precariedade, a relação com a ética é encharcada de um discurso atual e necessário pelo qual a cidade, mas principalmente os artistas sediados na Usina do Gasômetro estão enfrentando. Trata-se de um grito no qual todos devemos ouvir com atenção, principalmente os governantes e administradores dos espaços destinados a arte. 

Confira este texto na íntegra no blog OLHARES DA CENA

QUEREM ACABAR COMIGO (RS)

DIAS 28,29 E 30/01 21H 
SALA 505 DA USINA DO GASÔMETRO
REALIZAÇÃO CIA TEATROFÍDICO E PORTO VERÃO ALEGRE

O Exercício teatral é o fundamento do teatro de grupo. Nele se consolidam as idéias desenvolvidas através dos anos e nele está contida sempre uma pergunta: qual o caminho?
Pouco antes de completar 10 anos de trabalhos ininterruptos a Cia Teatrofídico continua se perguntando, se provocando, se re-inventando.
Neste exercício/estético/cênico/teatral foi proposto a escolha aleatória de textos/monólogos por parte do elenco, sem nenhum tema ou indicação.Pouco tempo antes vínhamos de um processo coletivo rico em propostas, rico em dinâmicas e rico em conteúdos. Dele nasceu outro processo, que certamente dará com o fruto outro processo. Assim é, quando se trabalha de maneira continuada.

Neste QUEREM ACABAR COMIGO, os atores escolheram 5 textos de autores completamente distintos que como por encanto ou magia, na montagem, se unem e se completam, mesclados, fragmentados, misturados. Desta forma texto, estética, atuação e concepção uniram-se com elementos diversos e convergiram numa encenação íntima e vigorosa, de arrebatamento, mas com distanciamento.
Esteticamente buscou-se o despojamento cromático com uso de preto e branco, projeções e formato arena; a atuação vai de ações partitura a valorização do texto dito com multiplicidade de emoções; a concepção primou pelo jogo, pela ruptura, pelo embate.
Como resultado fala-se sobre sentimentos: femininos, anônimos, sexuais, comportamentais e sobretudo existenciais, um mundo a beira do colapso:
“...porque ando muito – digamos – espantado com o mundo...”
Andamos todos.
FICHA TÉCNICA
DIREÇÃO/ILUMINAÇÃO/TRILHA SONORA:
EDUARDO KRAEMER
ELENCO:
RENATO DEL CAMPÃO / SILVANA DA COSTA ALVES / DÉBORA GEREMIA /
REJANE MENEGHETTI / THUANIE CIGARAN
PRODUÇÃO:
CIA TEATROFÍDICO
PROJETO USINA DAS ARTES
FOTOS: RONEI BROGNOLI
DIVULGAÇÃO
9656.8341 Renato Del Campão
9274.4446 Eduardo Kraemer 

sábado, 25 de janeiro de 2014

DEUS E DIABO NA TERRA DE MISÉRIA (RS)


Dia 28 -18h – Parque da Redenção – Porto Alegre/RS
Dia 29 -18h – Largo Glênio Peres – Porto Alegre/RS
Deus e o Diabo na Terra de Miséria é uma farsa gaudéria que aborda o universo de Miséria, um gaúcho dono de uma ferraria que, certo dia, recebe a visita de Nosso Senhor e São Pedro. 
É agraciado com três pedidos, os quais usa para enganar os diabólicos ajudantes Liliti e Sanganel e o diabo chefe Lúcifer. 
Mas Miséria, por ter enganado Deus e o Diabo, não conseguiu entrar no céu e nem no inferno. 
Desde então, se diz que por esse motivo a miséria teve que ficar vagando pelo mundo afora. 
Texto
Ricardo Güiraldes

Adaptação e direção
Hamilton Leite

Música
Jackson Zambelli e Gustavo Finkler

Figurinos
Arlete Cunha

Adereços
Vera Parenza e Cintia Ceccarelli

Atuação
Giancarlo Carlomagno, Hamilton Leite, Ilson Fonseca, Janaina Mello e Vera Parenza


A COMÉDIA DOS ERROS (RS)


28, 29, 30 e 31 de janeiro; 1 e 2 de fevereiro

Crise de identidade sob o ponto de vista cômico é o tema central. Possivelmente a primeira obra escrita por William Shakespeare. 
Trama caprichosa e divertida, à qual se articula um eficiente jogo dramático em torno dos conceitos de aparência e realidade.
Horário: às 21h
Local: Sala Álvaro Moreyra

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

O APANHADOR (RS)


28, 29 e 30 de janeiro

Livremente inspirado na obra “O Apanhador no Campo de Centeio” ,do escritor J. D Salinger, o espetáculo é fruto de uma intensa pesquisa de atores e músicos criadores sobre o universo de valores que a obra sucita no imaginário contemporâneo.
Salinger traz um recorte verdadeiro, honesto e objetivo da vida de um adolescente comum do mundo moderno. Suas inquietações, inseguranças, preconceitos e paixões são abordadas através de uma linguagem direta, em primeira pessoa, permitindo o leitor compreender o raciocínio e os impulsos próprios de uma fase de transformação do homem.
Horário: às 21h
Local: Teatro Renascença

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

OS SALTIMBANCOS (RS)

Musical "Os Saltimbancos" leva canções adaptadas por Chico Buarque ao Teatro Novo, em Porto Alegre Lisa Ross/Lisa Ross
19 e 26 de janeiro
02 e 09 de fevereiro
17hs
Realizada pela Cia Teatro Novo, a montagem Os Saltimbancos leva mais uma vez ao palco a história dos quatro animais que partem em busca de seus sonhos. O espetáculo estreia no domingo. Pela segunda vez em sua história, a Cia Teatro Novo, que completa 45 anos, apresenta o musical com canções adaptadas por Chico Buarque de Hollanda. Inspirado em Os Músicos de Bremen, dos Irmãos Grimm, o espetáculo é de autoria de Sergio Bardotti e Luis Enríquez Bacalov.

A montagem conta a história de um quarteto de bichos formado por um jumento, uma galinha, um cachorro e uma gata. Depois de abandonarem seus donos por causa dos maus-tratos, o grupo decide se unir e formar uma banda, para tentar o sucesso na cidade grande. No repertório, estarão canções conhecidas do público, como Todos Juntos, A Cidade Ideal e História de uma Gata.

HUMOR A MODA ANTIGA - PAULINHO MIXARIA (RS)

paulinho-mixaria
Mixaria é considerado um dos únicos humoristas que fazem graça sem apelações ou palavrões que agridem as famílias e as crianças, as quais gostam e apreciam o humor sadio. A obra conta causos envolvendo histórias de sua família e criando bordões incríveis, como “óia as cunversa” e “vai rachá uma lenha”, que deixam em destaque o carisma especial do humorista.

RINDO AFÚ (RS)

de 23 a 26 de Janeiro - 21h
Teatro da AMRIGS
Produzido e frequentado pelos principais comediantes do estado, o Rindo Afú apresenta uma divertida mistura entre diversos espetáculos humorísticos. O festival vai apresentar um elenco de peso: Cris Pereira, Nando Viana, Dudu Weber (Comédia Urbana), Alexandre Fetter (como mestre de cerimônia, fazendo as costuras do espetáculo), Serão quase duas horas de pura diversão e muitas risadas. Um evento imperdível! Rindo Afú é uma realização da Artistaria Produtora de Humor.

COISAS QUE PORTO ALEGRE FALA NO TEATRO (RS)

Dia 22 de Janeiro - 21h 
Teatro do Bourboun Contry
Depois do sucesso das últimas apresentações, o grupo Coisas que Porto Alegre Fala retorna aos palcos, para nova apresentação no dia 22 de janeiro, às 21h, no Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre. No melhor estilo "Sai de Baixo" ou "Família Trapo" os espectadores de Coisas que Porto Alegre Fala viverão situações únicas daqui do sul. Em um típico apartamento do Bom Fim, em frente à Redenção, os meninos encontram as meninas pela primeira vez na situação mais constrangedora possível: a noite seguinte. A montagem conta ainda com participações especiais, que são surpresa para os que forem assistir.
O Coisas que Porto Alegre Fala tem ainda mais novidades. O grupo lança em seu canal no Youtube o vídeo Coisas que Porto Alegre Fala na Melhor Idade. No novo episódio, já disponivel na internet, o tradicional elenco estará caracterizado como idosas, passando por diversas situações engraçadas, típicas da terceira idade. O esquete ainda encerra com o pedido de doações para o Asilo Padre Cacique, que firmou a parceria neste trabalho.

PAPAI PIROU NAS ONDAS DO RÁDIO (RS)


Dias 21,22 e 23 de Janeiro - 21h
Teatro do SESC

Dirigida por Néstor Monasterio - diretor de grandes espetáculos de sucesso como Homens de Perto 1 e 2 e Inimigas Íntimas - , e escrita por Guto Greco, o espetáculo tem como pano de fundo fatos históricos do Brasil da era de Getulio Vargas. Como estrutura estética, a peça traz a moda, o comportamento e os costumes da época de ouro do rádio.  Embalada pelas clássicas marchinhas  de carnaval como “Me Dá um Dinheiro Aí” e “Mamãe eu Quero”, a encenação conta com um elenco de seis atores que executam as canções ao vivo e constroem performances artísticas inspiradas em grandes figuras, como a de Carmen Miranda e a do Repórter Esso.

Sinopse

O espetáculo se passa em um programa de rádio da década de 40 que narra cartas enviadas por seus ouvintes. Os rádio-atores revivem a história de uma pacata família que tem sua rotina transformada
quando o pai, Napoleão, leva um choque ao tentar consertar o rádio. Confuso e atordoado pelo susto, Napoleão passa a confundir a ficção com a realidade, e assume o papel de heróis de novela e ícones
históricos. A família, por conselho do médico, decide não contrariá-lo, entrando assim nessa enlouquecida história em que surpreendentes personagens ganham vida e a família inteira se diverte.

GURI DE URUGUAIANA (RS)


Dias 20,21,22,27,28 e 29 de Janeiro
Dias 03,04,05,10,11,12 de Fevereiro
21hs
Teatro da AMRIGS

Personagem  criado e interpretado pelo humorista Jair Kobe, o Guri de Uruguaiana   tornou-se uma das figuras mais queridas e simbólicas do Rio Grande do   Sul na atualidade. Por onde passa, arranca aplausos e lota   apresentações.

Um   gaudério de muitas andanças, o Guri, sempre acompanhado de seu fiel   escudeiro Licurgo – o gaúcho emo -, interpreta o Canto Alegretense – uma   espécie de hino ao tradicionalismo - sempre ao ritmo de músicas   nacionais e internacionais consagradas (para desespero dos nativistas!).   Talvez um dos segredos de seu grande sucesso e identificação com o   público seja a qualidade de suas piadas, que despertam muitos risos na   plateia sem nenhuma apelação.  

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

TRANSMOBILIZAÇÃO (RS)

Dia 24 de Janeiro - 18h
Esq. Democrática
My House com o espetáculo de dança contemporânea: Transmobilização às 18h. O Grupo My House apresentará seu novo projeto, Transmobilizacão. Uma intervenção com performances de arte urbana pela qual a dança busca transformar o panorama visual da cidade junto ao público transeunte. Reorganizando o papel da Dança de Rua dentro das cidades, de forma atenta a poética do grupo frente a Mobilidade Urbana - Como e com qual qualidade o cidadão se movimenta nas grandes cidades. A missão será transformar o fluxo urbano, e mover pessoas em uma direção a um corpo poético!
Direção: Marco Rodrigues Elenco: Adriano Oliveira (Driko); Brennda Martins; Gabriela Chultz; Jean Guerra; Jackson Brum; Jackson Conceição (Flowjack); Leonardo Rosa; Marco Rodrigues; Renata Stein. Operador técnico: Eduardo Bertochi

BLOCO DA LAJE (RS)


24 Janeiro - 19h - Esquina Democrática
Bloco da Laje e seu coletivo de Brincantes às 19h. Formado originalmente com o objetivo de reunir amigos, artistas e simpatizantes do carnaval para sair pelas ruas da cidade de Porto Alegre em cortejos pré-carnavalescos em 2012, superou as expectativas, ao reunir mais de duas mil pessoas nas ruas do bairro Cidade Baixa no ano de sua criação. De lá pra cá, o grupo se solidificou e se estruturou como um coletivo artístico, marcando presença na cena cultural de Porto Alegre. O coletivo procura manter suas atividades de maneira interdisciplinar, exercendo-as em constante fusão de linguagens e ampliando o tradicional carnaval para o exercício criativo da música, dança, teatro e a brincadeira.

OS 10 MANDAMENTOS DO CAPITAL (RS)


Dia 24 de janeiro - 17h 
Esquina Democrática

O IEACen começa suas atividades de 2014 com uma mostra para valorizar e dar visibilidade à uma área de grande importância e tradição no setor das Artes Cênicas do Rio Grande do Sul, a Intervenção Urbana.

Grupo Teatral Povo da Rua - Os 10 Mandamentos da Capital às 17h. A montagem retrata a saga de um bando insatisfeito com o modelo de cidade que aprisiona, angustia e coisifica sentimentos e afetos. A criação coletiva do Povo da Rua – teatro de grupo, tem no elenco Alessandra Carvalho, Denis Cruz, Evelise Mendes, Felipe Fiorenza, Rochelle Luiza e Tiago Demétrio. A Direção Cênica de Evelise Mendes. 

OS GRINGOS A BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS (RS)


25 e 26 de janeiro

Comédia criada pelo Grupo Neelic (Núcleo de Estudos e Experimentação da Linguagem Cênica) para trazer ao teatro e fazer rir. Caricaturização de comportamentos e atitudes tanto do gaúcho do interior do Rio Grande do Sul, como também, o da capital, sempre em fusão com a herança cultural dos países latinos. 
Horário: às 21h
Local: Sala Álvaro Moreyra

FAUNO (RS)




Fauno foi a décima montagem do GRUPOJOGO de ExperimentAção Cênica, que rememorou os 100 anos da marcante coreografia de Nijinsky.
            A linguagem da dança e do teatro proposta pelo grupo se aprimora e abre portas para a inclusão do cinema e das artes visuais em seu hibridismo cênico, sem qualquer tipo de hierarquia, criando o universo de sonho e desejo de um fauno, figura clássica da mitologia, além de reunir uma equipe que se destaca nas recentes produções artísticas da cidade.
Fauno estreou em dezembro de 2012, em curta temporada na sala Álvaro Moreyra do Centro Municipal de Cultura de Porto Alegre, sendo indicado a 8 categorias do Prêmio Açorianos de Dança, daquele ano, tendo ganho nas categorias de Melhor Direção (Alexandre Dill) e Cenografia (Bruno Salvaterra), além de indicações para mais seis categorias incluindo Espetáculo e Bailarino (Igor Pretto).
O espetáculo, de curta duração, retorna para quatro apresentações na Sala 309, do Centro Cultural Usina do Gasômetro (Av.Presidente João Goulart, 551). Serão dias 25 e 26, com sessão dupla, as 20h30 e às 21h. Os ingressos custam R$ 20,00 com 50% de desconto para maiores de 60 anos, sócio e acompanhante do Cartão do Assinante Zero Hora, estudantes e classe artística (mediante comprovação). 
O GrupoJOGO tem sua sede na sala 309 da Usina do Gasômetro, participando desde 2011 do Projeto Usina das Artes. Com seis anos de existência, já apresentou sete espetáculos,três exercícios cênicos e uma performance sempre dialogando com a intersecção entre teatro e dança contemporânea/clássica. Sua mais recente montagem teatral, A NOITE ÁRABE, fruto de uma seleção de edital para Prêmio Novos Diretores (Parceria entre Secretária Municipal da Cultura de Porto Alegre e Instituto Goethe) foi um dos destaques das Artes Cênicas no ano de 2013, ganhando indicações para Prêmio Açorianos e o Troféu Braskem em Cena na categoria Melhor Atriz para Thainá Gallo (também no elenco de O Apanhador e Godspell, o musical).

O QUÊ: Quatro apresentações do espetáculo  FAUNO
QUANDO: Dias 25 e 26 de Janeiro, às 20h30 e 21h.
QUANTO: R$ 20,00 com desconto de 50% para maiores de 60 anos, sócio e acompanhante do Cartão do Assinante Zero Hora, estudantes e classe artística (mediante comprovação)
ONDE: Sala 309 do Centro Cultural Usina do Gasômetro (Av.Presidente Goulart, 551.Fone: 3289 8111)

Contato com Produção e Divulgação:
PALCO ABERTO PRODUTORA
Rodrigo Marquez – 9566 8966 e 3224 7638

divulgapalcoaberto@gmail.com

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

AUTOMÁKINA - UNIVERSO DESLIZANTE (RS)


Apresentações em Porto Alegre
24 de Janeiro - 18h - Largo Glênio Peres
26 de Janeiro - 17h - Arco da Redenção
O Espetáculo de teatro “Automákina – Universo Deslizante” trata de uma questão pertinente a todos os homens de todos os tempos: "a arte da sobrevivência". Com uma linguagem que mescla o simbolismo do teatro de bonecos com seus personagens autômatos fazendo uma metáfora a existência humana, o virtuosismo das técnicas circenses e a poética do teatro de rua.
O Cenário Móvel “Automákina”, pesquisa ousada e inovadora do grupo propõe levar para rua um aparato cênico impar em qualidade visual e sonora, uma máquina gigante medindo 6,0 m de comprimento, por 7,0 m de altura, aumentando assim a dramaticidade do espetáculo.
Compondo com estas características, a música, criada exclusivamente para o espetáculo, será executada ao vivo com efeitos de som mecânico e com instrumentos musicais construídos pelo grupo, enriquecendo a coerência estética do cenário.
O trabalho do ator e sua relação com os bonecos, com o cenário móvel, com a música e os instrumentos, além da relação com o público determinam o desenvolvimento de uma dramaturgia dinâmica e de grande impacto sobre as pessoas.
“AUTOMÁKINA Universo Deslizante” foi feita para ganhar as ruas e chegar aos espaços inusitados, aonde o teatro pouco vai, e assim apresentar o mundo do Duque Hosain'g, Um mundo portátil, pessoal e impenetrável

Concepção
O espetáculo “Automákina – Universo Deslizante” foi concebido pensando no olhar do próprio personagem como arquiteto, construtor do seu mundo. O processo de construção da nave foi desenvolvido simultaneamente com a criação do personagem. Um universo sobre rodas para um só homem, uma máquina gigante construída pelo próprio DUQUE DE HOSAIN’G. Ela foi feita para ganhar as ruas e chegar aos espaços mais inusitados, aonde o teatro pouco vai. Trabalho solitário e disciplinado que durou três anos, durante os quais nasceram engenhocas funcionais, bonecos manipulados por fios e automaticamente, instrumentos musicais adaptados e criados exclusivamente para esta viagem, movimentos corporais adaptados à densidade deste novo mundo. Pronta a máquina, criada a vida, inicia-se a viagem.

Sinopse

"Automákina – Universo Deslizante” se desloca pelas ruas e praças das cidades. Por esses caminhos se apresenta o mundo do Duque Hosain'g, Um mundo portátil, pessoal e impenetrável. É como se ele tivesse optado por levar o universo junto a si, construído a partir de seus múltiplos aspectos, os quais concretamente ganham vida. Seus pensamentos, as músicas que executa e seu DNA se confundem com a nave. O tempo é deslizante e incerto. Rasgando o espaço urbano sua procura é surpreendente. O estranho o acompanha e transforma tudo que está a sua volta.

Ficha Técnica

Direção: Jackson Zambelli.

Autores: Luciano Wieser e Jackson Zambelli.

Atuação: Luciano Wieser.

Bonecos, Cenografia e Instrumentos Musicais: Luciano Wieser.

Figurinos e Maquiagem: Raquel Durigon.

Equipe Técnica de montagem/monitoria: Raquel Durigon, Txai D. Wieser, Vitor Brasil, Denisson Gargione e Tayhú D. Wieser.

Música Original: Jackson Zambelli e Claudio Veiga.

Música gravada por: Claudio Veiga, Luciano Wieser e Sergio Olivé.

Técnica de som: Txai D. Wieser.

Designer Gráfico: Flávia Correia.

Produção e Realização: Grupo de Teatro De Pernas Pro Ar.

O MANUAL PRÁTICO DA MULHER MODERNA (RS)

24, 25 e 26 de janeiro

Questiona, com bom humor, a capacidade da mulher moderna de conciliar os papéis de filha, mãe, esposa, amiga, amante, magra e profissional. Convida homens e mulheres a rirem de si mesmos de forma leve e cheia de surpresas.
Horário: às 21h
Local: Teatro Renascença

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

APAGA A LUZ E FAZ DE CONTA QUE ESTAMOS BÊBADOS (RS)


24 a 26 de Janeiro - 21h
TEATRO DE ARENA
A peça estreou no Theatro São Pedro em outubro de 1972 e, posteriormente, cumpriu temporada no Teatro de Câmara e no Teatro do Círculo Social Israelita, onde mais tarde circulou pelo interior do RS. Um homem e uma mulher, numa noite qualquer, tentando encontrar um sentido para as suas vidas, através de um jogo de suspense, indagações mentiras e verdades. Mais uma vez, a solidão.
Ficha técnica:
Direção: Zé Adão Barbosa
Elenco: Bettina Muller e Francisco de los Santos
Texto : Ronald Radde
Criação de luz: Paulo Mauro
Duração: 60 min
Classificação: 12 anos

domingo, 19 de janeiro de 2014

PEQUENAS VIOLÊNCIAS: SILÊNCIOSAS E COTIDIANAS (RS)

(Gustavo Faraco/Divulgação)

17, 18 e 18 de Janeiro - 21h 
Teatro de Arena
O texto parte de um fato corriqueiro e aparentemente sem maior gravidade: um atropelamento no qual não há vitimas fatais. A partir do olhar de diferentes testemunhas desse acidente, a trama evolui como um quebra cabeça, onde as peças soltas aos poucos se encaixam e vão revelando, que por detrás deste acontecimento "banal", algo mais terrível está para ocorrer. Os personagens não têm relações diretas entre si, são desconhecidos, passantes, rostos que se cruzam, mas que desviam seus olhares uns dos outros.
Direção: Fernando Kike Barbosa
Elenco: Liane Venturella, Janaina Pelizzon, Cassiano Ranzolin, Rodrigo Mello e Rafael Guerra.

ENTRE NÓS (RS)


24, 25 e 26 de janeiro

Comédia romântica contemporânea, escrita de forma não linear. 
Conta a história de dois jovens atores em processo de criação para um romance. 
Horário: às 21h
Local: Teatro de Câmara Túlio Piva