terça-feira, 26 de março de 2013

A CARAVANA DA ALEGRIA (RS)


 Sala Álvaro Moreyra
De 30 de março a 21 de abril de 2013. 
Sábados e domingos, às 16h.
É uma comédia musical muito divertida, interpretada por três atores mambembes que viajam pelo Brasil, mostrando de uma maneira lúdica as culturas de vários cantos do país, com seus folclores, lendas e cantigas.



Ficha Técnica:

Elenco:
DEJAYR FERREIRA - Alaor, O Declamador
JADSON SILVA - Zeca, O Comediante
RODRIGO "KÃO" ROCHA - Chico, O Apresentador
Direção - AIRTON DE OLIVEIRA
Texto Original - ALEX RIEGEL
Adaptação do Texto - RODRIGO "KÃO" ROCHA
Trilha Sonora e Arranjos - JADSON SILVA
Músicas de Abertura e Encerramento - JADSON SILVA
Acessoria Vocal - MÁRCIO BUZATTO
Criação e Confecção do Figurino - NARAY PEREIRA
Criação e Confecção do Cenário - MARCOS BUFFON
Iluminação - NARA LÚCIA MAIA
Coreografias - SAIONARA SOSSA
Imagens do Cenário - CLAU PARANHOS
Adereços:
AIRTON DE OLIVEIRA
MARCOS BUFFON
NARAY PEREIRA
PETER RIBEIRO (Esculturas)
Projeto Gráfico - RODRIGO "KÃO" ROCHA
Assistência de Produção - JADSON SILVA
Produção Executiva - AIRTON DE OLIVEIRA
Uma Realização - TELÚRICA PRODUÇÕES
Em parceria com - CIA. VENTO MINUANO E GRUPO LOUCOS DE PALCO

COISARADA (RS)


27 de Março - 18h - 
Local: Esquina Democrática

Coisarada - que no dicionário de Porto-Alegrês significa “mistura insensata de coisas, ou conjunto muito vasto de coisas, ainda que homogêneas” - é um espetáculo que une circo, dança, teatro. A proposta mistura tudo: acrobacias, música, malabarismos, dança contemporânea, palhaça, equilíbrios, teatro de bonecos, entre outras coisas, coisaradas...

Duração: 60 min

Classificação: livre

segunda-feira, 25 de março de 2013

O LANÇADOR DE FOGUETES (RS)


27 de Março - 17h - 
Local: Largo Glênio Peres

O lançador de foguetes está a procura do lugar ideal, que converge o espaço físico e a energia do público, elementos essenciais para a excelência de sua experiência Cientifica.
Deslocando-se com destreza pela rua, através de seu triciclo recheado de elementos cênicos, calcula os fenômenos físicos que podem interferir nesta jornada. utiliza os malabares circenses e as engenhocas astrológicas para Medir as distâncias, calcular o vento e sentir as energias.
Personagem instigante, busca parceiros para esta jornada, computa todas as informações e através de uma  trilha sonora empolgante e curiosa lança seus foguetes ...ideias ao ar.

Duração: 60 min

Classificação: livre

Ator/Diretor/Cenografia: Luciano Wieser

Figurinos, Maquiagem e assistência de direção: Raquel Durigon

Contra regra: Txai D Wieser e Raquel Durigon

Produção e Realização : Grupo De Teatro De Pernas Pro Ar

Produção – Raquel Durigon

domingo, 24 de março de 2013

VIDA DE CACHORRO (RS)


27 de Março - 16h - 
Esquina da General Câmara com Andradas

O quê: O palhaço Bem conta, nessa divertida história, a viagem que fez pelo mundo, passando por lugares como Buenos Aires, Estocolmo e Paris. BEM apresenta a estrela do espetáculo, o PALHAÇÃO, um cachorro de pelúcia que representa ""o melhor amigo do homem"". A partir daí, muitas surpresas são tiradas da mala e do coração do palhaço. Contendo números de equilíbrio, música, malabares, teatro de bonecos, monociclo e fogo, para ilustrar essa linda história de amor, amizade e circo, o “VIDA DE CACHORRO” é um espetáculo para todas as idades.

Duração: 60 min
Classificação: livre
http://circopetitpoars.blogspot.com.br/

quinta-feira, 21 de março de 2013

HISTÓRIAS DE UM CANTO DO MUNDO (RS)


Neste mês de março, dentro das comemorações da Semana de Porto Alegre, promovida pela Secretaria Municipal da Cultura, a Companhia de Solos & Bem Acompanhados realiza novas apresentações de “Histórias de Um Canto do Mundo  - Memórias de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul” – Com Deborah Finocchiaro, Edinho Espíndola e Denise Fontoura.
Histórias de um Canto do Mundo é como um cartão postal ao vivo. São contadas e cantadas histórias extraídas de dentro dos livros, dos jornais e transmitidas oralmente, reunindo contos urbanos, grandes crimes, lendas, tradições, fatos curiosos, costumes e memórias de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul.
As apresentações acontecerão nos dias 23 e 24 de março, às 20h, na Sala Álvaro Moreira – Centro Municipal de Cultura (Av. Érico Veríssimo, 307 – fone: 51 3289 8066).
Entrada Franca (Retirada de senhas 1h antes do espetáculo).
Estacionamento no local.
Ficha técnica
Pesquisa e Textos: Rosina Duarte
Voz e Violão: Deborah Finocchiaro
Voz e Percussão: Edinho Espíndola
Voz, flauta e sax: Denise Fontoura
Trilha sonora:
Músicas: Cau Netto e Deborah Finocchiaro
(com exceção das músicas “Canção para Julieta”, de Laura Finocchiaro e “Onde está Minha Janela”, de Léo Henkin, Dedé Ribeiro e Renato Mendonça)
Iluminação: Leandro Roos Pires
Técnico de Som: Victor Petroscki
Produção e Realização: Companhia de Solos & Bem Acompanhados

quarta-feira, 20 de março de 2013

CAMA DE CASAL (RS)


17_47.jpg
Teatro Novo DC Navegantes 
22 e 24 de Março
Horário: Dia 22 às 21h e dia 24 às 20h

Comédia adulta que mostra a complexidade da vida em casal e a convivência com as sogras de uma maneira bem divertida. Mostra com muito bom humor que casamento é para quem está disposto a ceder, amar, construir, respeitar, rever conceitos, viver sob o mesmo teto com alguém que, na maioria das vezes, é completamente diferente de nós. Como, por exemplo, as SOGRAS. Em telão, alguns depoimentos bem humorados com personalidades como Zé Victor Castiel, Jair Kobe, Pedro Ernesto Denardin, David Coimbra e Lurdes Eloy, falando sobre a relação com as sogras. 

Livre
55 min

Texto: Ellen D´Avila 
Direção: Ronald Radde 
Direção de Produção: Ellen D´Avila 
Seleção de músicas: Ellen D´Avila
Edição de Imagens e Som: Alvaro RosaCosta 
Coreografia: Saionara Sosa
Iluminação e operação de luz: José Hildemar Cavalheiro
Operador de som: Patrick Simões 
Programação Gráfica: Rogério Araújo 
Depoimentos em telão: Lucas Krug(Fernandão)/ Zé Victor Castiel, David Coimbra, Jair Kobe, Pedro Ernesto Denardin e Lurdes Eloy 
Elenco: 
Karen Radde–Naná
Daniel Anillo–Guto
Saionara Sosa–Bárbara
Letícia Paranhos–Eugênia
Em off: Ellen D´avila-Vitória Malta e Pedro Ernesto Denardin-Narração do Gre-Nal.
- Credito do Fotógrafo: Lisa Roos 

O NEGRINHO DO PASTOREIO (RS)


24 de Março - Parque Germânia
Horário: às 16h

23 de Março - Parque Mascarenhas de Moraes / Humaitá
Horário: às 16h


Livre adaptação da lenda homônima de Simões Lopes Neto. É a lenda mais autêntica do folclore do Rio Grande do Sul. Conta a saga de um escravo que por ter perdido uma corrida de cavalos é cruelmente torturado até a morte pelo seu senhor e passa a ser conhecido como procurador das coisas perdidas. Basta apenas acender um toco de vela pro Negrinho. Se ele não achar, ninguém mais acha.

O espetáculo estreou em setembro de 2002, já tendo realizado 365 apresentações para mais de 90.000 pessoas, em diversas cidades do Brasil. 

terça-feira, 19 de março de 2013

UM VERDADEIRO COWBOY (RS)


21 e 22 de Março
Um Verdadeiro Cowboy
Cia Depósito de Teatro - Teatro Adulto
Horário: às 20h
Local: Sala Álvaro Moreyra
Senhas: 1 hora antes do espetáculo

UM VERDADEIRO COWBOY é simplesmente irresistível. O texto, construído impecavelmente por Marília Samper, é um drama absurdamente envolvente, que oferece ao público temas como a velhice e a morte abordados de maneira poética, sensível, cômica e comovente. A peça de Marília alterna entre momentos dramáticos e momentos da mais desbragada e delirante fantasia. Intercala situações absurdas que provocam deliciosos momentos de comicidade, francamente risíveis, e situações carregadas do mais profundo sentimento humano. O espetáculo, dirigido pela premiadíssima Liane Venturella, é todo centrado no trabalho do ator e busca o envolvimento total e a identificação do espectador.

UM VERDADEIRO COWBOY traz ao palco um velho (Roberto Oliveira, Prêmio Açorianos 2012 e Prêmio Brasken 2012 de Melhor Ator) que acaba de perder sua esposa e antevê a sua própria solidão e abandono. Sua filha (Elisa Heidrich) aparece algumas vezes para cuidá-lo, evidenciando uma relação altamente conflituosa e problemática (refletindo a rede das relações humanas). Quando o velho se encontra no ápice da sua solidão e lhe parece sobre-humana a dificuldade de continuar vivendo, aparece na sua frente uma figura fantástica: o cowboy John Wayne (Marcelo Johann). Esta possibilidade de escapar pela via da fantasia, traz vida ao velho, e enche a montagem de leveza e comicidade. A peça aborda, de forma tocante e agradável, temas tão difíceis como a velhice e a morte.


segunda-feira, 18 de março de 2013

OS HOMENS SÃO DE MARTE... E É PRA LÁ QUE EU VOU! (RJ)


Dias 22 e 23 de março de 2013, sex e sáb às 21h
TEATRO DO BOURBOUN CONTRY
Os Homens são de Marte... E é pra lá que eu vou! retorna ao Estado em março. No dia 22 e 23 de março, às 21h, os porto-alegrenses recebem o sucesso de público e crítica no palco do Teatro do Bourbon Country. Os ingressos já estão à venda.

A artista, que foi indicada ao prêmio Shell de melhor atriz em 2005, interpreta Fernanda, 39 anos, solteira, jornalista formada, mas que trabalha com eventos e organiza festas de casamento. Em busca do amor, a personagem se envolve intensamente com os vários tipos de homens e chega a ficar muito parecida com cada um deles, independente dos tipos físicos, das condições sociais ou econômicas. Cada homem que ela encontra pode ser seu grande amor, quem sabe? Fernanda se envolve com um político, um rico playboy, um alternativo do sul da Bahia e um gay. O tempo que ela gasta com os homens daria para ter dado uma volta ao mundo e ainda ter estudado a história de todas as civilizações.

O BAÚ - LEMBRANÇAS E BRINCANÇAS (RS)


577
Teatro de Câmara Tulio Piva
De 23 de março a 07 de abril de 2013 
Sábados e domingos, às 16h.
(Dias 23 e 24 ENTRADA FRANCA)

A peça "O BAÚ - LEMBRANÇAS E BRINCANÇAS", parte do conflito de duas crianças que são privadas de ficar em frente à televisão, e que precisam pensar em como passar o tempo. Dindim recebe sua amiga Pimpolha para dormir em sua casa, mas é proibida de assistir TV pela mãe. As duas meninas não sabem o que fazer.

Enquanto esperam, contam apenas com um baú, algumas tralhas e a imaginação para o passar das horas. Inicialmente, sem a televisão, tudo parece sem graça e monótono, porém ao longo do tempo, percebe-se que há muito o que fazer quando crianças podem ser apenas crianças.

A dramaturgia deste espetáculo é resultado do processo de pesquisa e improvisação das memórias de infância das atrizes (Caroline Falero e Giovanna Zottis, dirigidas por Fábio Castilhos) colocadas em relação com a infância atual. Através de improvisos; lembranças; do olhar atento pela rua; da criança que fomos e a que queremos; do sonho e do riso; e do reconhecimento do quão valioso é ser criança, ter infância, se divertir e transgredir as normas vigentes. Antes de tudo, o espetáculo “O Baú – Lembranças & Brincanças” é um enaltecimento a infância, uma peça para criança e sobre a criança.

Em 2011 o espetáculo “O Baú – Lembranças & Brincanças” concorreu ao prêmio Tibicuera de Teatro Infantil, recebendo os prêmios de MELHOR DRAMATURGIA e DIREÇÃO (Fábio Castilhos) e MELHOR ESPETÁCULO JÚRI POPULAR TROFÉU RBS. Também foi indicado para os prêmios de MELHOR ATRIZ (Caroline Falero e Giovanna Zottis) e MELHOR ESPETÁCULO.

Confira o comentário que fiz sobre o espetáculo em OLHAR(es) DA CENA

sexta-feira, 15 de março de 2013

OS TRÊS URSOS - MISSÃO CACHINHOS DOURADOS (RS)


16 de março a 14 de abril
Dias: Sábados e domingos, às 16h
Local: Teatro Carlos Carvalho – 2° andar
Ingressos: R$ 15,00 inteira;  R$ 10,00 estudantes e crianças; e R$ 7,50 idosos e Clube Assinante ZH.

De 16 de março a 14 de abril, o grupo Entreteniarte apresentará “Os Três Ursos – Missão Cachinhos Dourados” no Teatro Carlos Carvalho da Casa de Cultura Mario Quintana, sábados e domingos, às 16h. O texto e direção são assinados por Edye.

Numa época em que o mundo sofre as consequências do aquecimento global e o descaso da humanidade para com a natureza, é criada a INSEGLO (Inteligência Secreta Global), liderada pelo Sargento Ratazana e sua Equipe de Espiões Ultra Secreta: os agentes 001, 002 e 0,0. Para manter suas identidades em sigilo nas missões dadas pela Agência de Segurança, os três ursos se infiltram na floresta, passando os dias como uma típica família de ursos, com direito a hibernar no inverno e comer mingau. Diferente da história original, aqui, a menina loira cresceu e se tornou uma poderosa empresária, dona de multinacionais, porém, muito arrogante e despreocupada com a natureza. Agora, a missão desta secreta família é capturar Cachinhos Dourados e colocar um fim nos danos causados por suas fábricas, antes que ela invada suas casas, coma todo o mingau, quebre as cadeiras e durma nas suas camas.

quinta-feira, 14 de março de 2013

QUAL O NEXO DO SEXO (RS)


16 de março a 14 de abril
Dias: Sábados, às 21h e domingos, às 20h Local: Teatro Carlos Carvalho – 2° andar Ingressos: R$ 20,00 inteira; R$ 15,00 estudantes e Clube ZH; e R$ 10,00 idosos e correntistas Banrisul. 

De 16 de março a 14 de abril, o grupo Entreteniarte entra em cartaz com Qual o Nexo do Sexo, no Teatro Carlos Carvalho da Casa de Cultura Mario Quintana, aos sábados, às 21h e domingos, 20h. Os ingressos custam R$ 20,00, sendo que estudantes e sócios do Clube do Assinante ZH pagam R$ 15,00 e idosos e correntistas do Banriusul, R$ 10,00.

Quatro atores irão expor experiências que farão muitos se identificarem. Embora o ato sexual seja a denominação dada à fase em que dois animais realizam a ação física de junção de seus órgãos sexuais para transmissão do gameta masculino ao feminino, nem sempre tem função reprodutiva. Em frente aos ideais de cada ser humano, muitas vezes a relação amorosa não surte os resultados esperados e acaba, muitas vezes, resultando em situações cômicas. Quem nunca encontrou um parente no corredor do motel; ficou sem gasolina na entrada do motel e teve que empurrar o carro até a garagem; bateu a cabeça na banheira ou viu que estava sem dinheiro na hora de pagar a conta? Com muito humor, e sem apelação, a peça tenta descobrir se existe algum sentido para aquilo que tira os sentidos.

quarta-feira, 13 de março de 2013

ELAS IMPROVISAM (RS)


15, 22 e 29 de março (sexta-feira) 21h
Teatro Carlos Carvalho (2° andar)
Contribuição espontânea

De 15 a 29 de março, a Cia Artiurbana apresenta, às sextas feiras, o espetáculo Elas Improvisam, no Teatro Carlos Carvalho, na Casa de Cultura Mario Quintana. As apresentações acontecem sempre às 21h e a contribuição é espontânea.

Durante a apresentação, as atrizes Alessandra Danielli, Bruna Ruiz, Carolina Caon, Suka Rodriguez e Melissa Monteiro ficam a mercê do público e do diretor, criando cenas totalmente improvisadas.  São esquetes, jogos, músicas, tudo a partir de situações cotidianas e que são sugeridas na hora para as atrizes. As quatro contam ainda com a participação de Dj Ney.


terça-feira, 12 de março de 2013

NATALÍCIO CAVALO (RS)

Estreia no Teatro de Câmara no dia 15 de março as 21h. Temporada de sextas a domingos (sextas e sábados 21h, domingos 20h). Até dia 7 de abril.
Logo depois: brevíssima temporada de 2 semanas no Museu do Trabalho. De 12 a 21 de abril, sextas a domingos.
Nos dias 22, 23 e 24 de Março (Espetáculo participante da Semana de Porto Alegre, com ENTRADA FRANCA)



Pensar a morte, a nossa e a dos mortos que carregamos, é pensar o tempo de uma forma que ele não desaparece. É articular uma teia de memória que define quem somos e abre possibilidades a quem podemos e queremos ser – afinal, somos aquilo que lembramos, e aquilo que esquecemos também. A morte é a experiência do tempo, é nossa memória coletiva e individual, simultaneamente. Morremos e rejuvenescemos sem cessar. Em Natalicio Cavalo, vida, morte e memória se encontram na trama de trajetórias que atravessa a composição dramatúrgica: a do próprio Natalicio, que já está morto, e a dos atores e personagens que buscam reconstituí-la, tecendo fragmentos e imaginando o que não sabem. Uma celebração do tempo e dos espaços que habitamos, e que outros habitaram antes de nós.
Somos o único animal que sabe que vai morrer. Essa consciência está presente em cada momento do cotidiano e alimenta a filosofia. Não há vida sem morte, não há morte sem vida. No entanto, em nossa época a morte foi de certo modo transformada em espetáculo virtual e afastada da vida íntima. Contra o elogio da juventude eterna e a propaganda da vida asséptica, nos aventuramos na temática da morte, compreendida como zona de sombra que define a experiência humana, como espaço de memória que articula passado, presente e futuro.


A Trilogia Festiva dá continuidade à investigação da Cia Rústica de linguagens e metodologias de criação estruturadas sobre o que denominamos ética da festividade na criação cênica: uma ética do encontro e da diversidade, que celebra o corpóreo, o prazer e o próximo, aceitando a sombra  e a turbulência como parte de uma existência plural. Nesse contexto, compreendemos a festa como uma forma de negociar com a morte e reinventar o mundo, e o teatro como um mecanismo de relações que pode articular estratégias de resistência frente à banalização promovida pela indústria cultural.

A Trilogia Festiva busca navegar nesse espaço de encontro e experiência sensível, aventurando-se em zonas sombrias e inevitáveis da trajetória humana, ainda que frequentemente relegadas na sociedade contemporânea: o fracasso, a morte e o caos. A primeira montagem foi Clube do Fracasso (2010). Natalicio Cavalo, segunda montagem do projeto,  lança um olhar festivo à experiência da mortalidade, entendendo que vida e morte são parte de um só movimento. Natalicio vive suas vidas e várias mortes em aventuras poéticas pelos caminhos do sul, um anti-herói que vaga entre a cidade e o pampa durante o século XX, celebrando a vida e encontrando a morte em mais de uma esquina. Transitando entre os anos 40 e o presente, a montagem percorre o universo do pampa gaúcho e também da paisagem urbana e boêmia de Porto Alegre.


Direção e composição dramatúrgica :

Patrícia Fagundes

Elenco:

Heinz Limaverde

Lisandro Bellotto

Marcelo Mertins

Marina Mendo

Priscilla Colombi

Rossendo Rodrigues

Figurino: Daniel Lion

Trilha Sonora:  Arthur de Faria

Preparação musical: Simone Rasslan

Marchinha da Morte e colaboração musical:Marina Mendo

Composições  e preparação coreográficas: Clóvis Rocha Asgadan

Assistência de Direção: Ander Belotto e Mauricio Casiraghi

Videos:Mauricio Casiraghi

 Iluminação:Lucca Simas

Cenografia: Rodrigo Shalako

Assistência de Produção: Vinicius Mello e Ander Belotto

Apoio Produção e Administração: Juan Luis Regodon

Direção de Produção: Patrícia Fagundes

Blog e redes: Marina Mendo                                               

Assessoria de Imprensa: Leo Sant’Anna e Ana Cláudia Dolzan

Realização: Cia Rústica

ENTRE NÓS (RS)


CIA  HALARDE  DE  TEATRO

De 15 de março a 07 de abril, as 21h, no Teatro Bruno Kiefer da CCMQ, a peça Entre Nós, retorna a cartaz depois de fazer quatro apresentações no PVA. 
Uma comédia romântica contemporânea, Entre Nós conta, de forma não-linear, a história de dois jovens atores que se preparam para interpretar os personagens gays Rodrigo e Fabio. São jovens com diferentes visões de mundo que, ao se apaixonarem, não sabem até que ponto essas diferenças serão um obstáculo para seus sentimentos. Entre erros e acertos, em meio a preconceitos internos, recalques e opiniões conflitantes sobre diversidade e relacionamentos, eles tentam aparar as arestas para construir uma bela união.
Para isso, eles enfrentam uma série de situações conflitantes e engraçadas enquanto tentam decidir o destino dos personagens perante as famílias, os amigos e a escola. Até que solicitam ao público que este decida o desfecho da peça.
O texto, do jovem autor e diretor baiano João Sanches, desmistifica conceitos ultrapassados sobre homossexualidade sem fazer apologias, mas com o objetivo de tratar o tema com o cuidado que merece, fugindo de caricaturas e estereótipos. Entre Nós é um espetáculo renomado na Bahia, principalmente entre o público jovem, escolar e LGBT. Esta é a primeira montagem da peça fora do Estado.
As sessões acontecem de quinta a domingo, às 21h, no Teatro Carlos Carvalho da Casa de Cultura Mario Quintana, e fazem parte da programação do Porto Verão Alegre.
Entre Nós retorna para uma segunda temporada em março.

ENTRE NÓS
Direção: Paulo Guerra
Texto: João Sanches
Elenco: Bruno Abiz
             Samuel Reginatto
Cenografia: Claudio Benevenga
Trilha sonora: DJ Ledos Reis
Figurino: Claudio Benevenga
Iluminação: Catarino Grosser
Programação gráfica: Sandro Ka
Fotos: Gerson de Oliveira
Cabelos: Thippos Leo Zamper
Assessoria de imprensa: SOMOS 
Jornalista responsável: Alexandre Böer
Estagiária de jornalismo: Mariana González
Bilheteria: Giovani Santos
Produção: Paulo Guerra
Realização: Cia. Halarde de Teatro

pauloguerra1@yahoo.com.br

HOMENS DE PERTO 2 (RS)


Dias 16 as 21h 
     Dia 17 as 19:30 hs
Theatro São Pedro
ENTRADA FRANCA
Na peça, Oscar Simch, Rogério Beretta e Zé Victor Castiel interpretam personagens que se envolvem em diferentes situações cômicas, entretendo o público com números de magia, ocultismo e hipnose. O universo feminino e o separatismo entre o Rio Grande do Sul e o resto do país são outros tópicos abordados durante o espetáculo,que após o grande sucesso da sua primeira edição, volta a encantar os espectadores no Porto Verão Alegre. O texto é de Artur José Pinto e a direção é de Néstor Monasterio. 


COMO AGARRAR MARIDO ANTES DOS 40 (RS)

Theatro São Pedro
15 de março - 21h
ENTRADA FRANCA
A comédia "Como Agarrar um Marido Antes dos 40", texto e direção de Claudio Benevenga, um dos grandes sucessos do teatro gaúcho, volta aos palcos de Porto Alegre, para única apresentação dentro do projeto "Mostra do Teatro Gaúcho, no palco do Theatro São Pedro. 
A peça aborda de forma divertida e bem-humorada um dos assuntos mais badalados do mundo contemporâneo: a busca pela alma gêmea. Lúcia, uma bem-sucedida advogada, percebe que vai fazer 40 anos e ainda está solteira. Ela entra em total desespero e resolve achar de qualquer maneira um marido em seis meses. A história conta todas as investidas, atropelos e aventuras da protagonista na busca de um grande amor antes do seu 40º aniversário.

DESPLANTE.DOC - Comentário Crítico

Desplante= Ousadia descabida que tem como sinônimos: atrevimento, ousadia, abuso, petulância entre outros. 
Desplante.doc é uma performance que foi apresentada no Teatro Bruno Kiefer da CCMQ. Em seu texto de apresentação a performance é apresentada como espetáculo que parte da experiencia da artista Laura Pacheco em terras estrangeiras. 
No palco vemos uma proposta interdisciplinar, uma mistura entre dança, performance, vídeo e por que não teatro. As fronteiras entre as linguagens são borradas e mescladas, e o que vemos é nada mais que um apanhado de intensões abstratas.
Um dos significado da palavra desplante é ousadia descabida, e percebo o trabalho de Laura Pacheco justamente através deste viés, pois seu desplante.doc é ao mesmo tempo ousado em seus pressupostos, mas suas propostas não chegam a uma comunicação, tornando-se descabido, vazio, desinteressante sob o ponto de vista cênico. Quando digo que a proposta não comunica, não me remeto a proposta de contar uma história ou algo aristotélico, mas que suas experiencias de descolamentos pudessem realmente chegar ao espectador, afinal de contas todo o processo de compartilhamento é realizado num teatro, no palco dentro de determinadas convenções que não são quebradas. 
O momento em que mais pude me aproximar deste ambiente estranho foi justamente na projeção final, de um corpo vestido de vermelho dentro de uma atmosfera cinza, ali pude compartilhar com o corpo deslocado da artista, ali pude deslumbrar a relação entre o estranho e o familiar. 
Mas durante o espetáculo (pois em seu texto é apresentado assim) tudo é apresentado de forma fragmentada, elementos como o vídeo é utilizado em cena aberta, não sei se é a proposta, mas a forma desnudada como é feita as projeções são muito amadoras. O operador sobe ao palco a cada intervenção da artista, e isso incomoda, pois ele não interage com a performer em nenhum momento. Será que faz parte dos pressupostos da encenação ou é uma improvisação utilizada naquele dia? 
Signos são propostos e quase que instantaneamente são destruídos, não aprofundando a relação destes com a obra proposta. 
A cena do flamenco e do sapateado são bastante interessantes, onde a repetição e pulsação são molas propulsoras para que muitos significados subjetivos se desvelem para cada espectador, mas ficam isoladas com o todo da obra.
Textos interessantes são digitados e sugerem imagens e algumas frases projetadas na tela demonstram bem a proposta da obra como:
"e como dizer o que não se pode dizer" e são justamente estes textos que dão o tom de "Desplante.com", revelando a que veio esta obra que teve o financiamento do Prêmio Myrian Muniz.

ATIVIDADES FORMATIVAS DO FESTIVAL DE TEATRO DE PORTO ALEGRE


Está chegando mais uma edição do Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre, que se consolida em sua 5ª edição. E juntamente com diversos espetáculos o festival conta com um eixo formativo, no qual além de oferecer seminários, irá oferecer dois Workshops e uma oficina, como seguem abaixo. 
Maiores informações e inscrições clique AQUI.

WORKSHOP 1

“Padox dans la cité”
Com a Compagnie Houdart-Heuclin, da França.
De 10 a 14 de abril (4h por dia)

Durante a oficina “Padox na Cidade” (“Padox dans la cité”), que será realizada no Bairro Bom Jesus, os artistas convidam 23 moradores para darem vida a Padox, um personagem surpreendente que é, em si, uma multidão. O processo culminará com a performance composta por vinte Padox, todos iguais, nas ruas da cidade de Porto Alegre. Criação: Gerard Lepinois, Alain Roussel, Jeanne Heuclin e Dominique Houdart.

As inscrições podem ser feitas, mediante a entrega de Currículo e carta de intenção, na Coordenação de Artes Cênicas até 30 de março (Centro Municipal de Cultura, Av. Erico Verissimo, 307 – Cep: 90160-181 – Telefones 3289 8064 / 3289 80 61.


WORKSHOP 2

“O Ator e o Performer: diferentes noções de treinamento”
Com Matteo Bonfitto, ator, diretor e pesquisador teatral.
13 e 14 de abril (4h por dia, das 14h as 18h)

Se considerarmos a forma como o treinamento do ator é muitas vezes proposto, é possível reconhecê-lo como um dos estágios que permeiam os processos criativos no teatro, independente das linguagens e gêneros investigados. De qualquer forma, quando examinado através dos estudos da performance, a noção de treinamento pode ser ampliada significativamente. De fato, através desses estudos a noção de training foi problematizada e dentre as implicações que emergiram desse processo é importante considerar a dissolução de várias dicotomias, entre vida e arte, corpo e mente, real e ficcional. No que diz respeito a essas dissoluções, elas abriram caminho para a emergência de práticas e de aspectos que não haviam sido explorados como treinamento artístico, tais como o uso da autobiografia e a exploração de materiais interdisciplinares. Essas práticas ampliaram, por sua vez, o spectrum explorado pelo treinamento artístico, gerando dinâmicas relacionais em muitos níveis. Nesse workshop entraremos em contato com algumas dessas noções e práticas. Assim define o diretor Matteo Bonfitto, que ministrará esta atividade.


Oficina cênica sobre experiências não vividas, com Juan Navarro e Oscar Cornago

De 08 a 13 de abril das 18h às 22h

Local: será divulgado posteriormente

Intervenção dia 14 de abril, das 14h às 16h
Carga horária: 24h

A proposta da oficina é  trabalhar fisicamente experiências não vividas. Fantasiar sobre o não vivido para criar um contexto físico puro, sem especulações políticas ou morais. Criar um quebra-cabeças de experiências físicas que sustentará de forma não dramática aspectos e temáticas insignificantes sobre a vida doméstica, sobre a intimidade das pessoas, que na realidade é o que as preocupa. Esses fragmentos entre a intimidade e a fantasia desses lugares não vividos se consolidarão como uma intervenção no espaço público ao final de uma semana de trabalho. Uma oficina de criação cênica supõe inventar um espaço no qual todos os participantes possam se expor com generosidade a certas ideias e propostas com resultados improváveis ou imprevisíveis. O trabalho cênico trata justamente disso, fazer provável o imaginário, o que não chegou a ser.

Juan Navarro trabalha como ator e diretor de companhias que são referência do teatro contemporâneo Europeu: Cia La Fura Del Baus, nos anos 90, Anita Saij de Dance Lab (Copenhagen), Einstürzende Neubauten (Berlim), Roger Bernat da General Elétrica (Barcelona), Sara Molina (Granada). A partir do ano 2000 firma parceria com Rodrigo Garcia e La Carnicería Teatro em obras como: “La história de Ronald, el payaso de Mc Donalds” “Muerte e reencarnacion en un Cowboy”. Realizou cursos e oficinas na Escuela Superior Diseño Elisava de Barcelona, Universidade Popular de Bogotá (Colômbia) Teatro Luiz Perazar de Caracas (Venezuela), Centro de Experimentación escénica La Poderosa de Barcelona e Garage 29 de Bruxelas.

Oscar Cornago é teólogo e doutor em artes cênicas. Fez doutorado em Humano e Divino na Universidade Autônoma de Madrid em 1997. Desde então, vem estendendo suas teorias através de livros, cursos e conferências, circulando por festivais ao redor do mundo. Na América Latina, trabalhou em missões dentro de várias universidades, com arte e cultura. Atualmente desenvolve seu estudo a partir da sede do Centro de Ciências Humanas e Sociais do Conselho Nacional de Pesquisa em Madrid.


segunda-feira, 11 de março de 2013

O MENINO DO DEDO VERDE (RS)





Dias 14, 15 e 16 de Março - 15h
Teatro do Sesc - Porto Alegre
ENTRADA FRANCA


O Menino do Dedo Verde é uma adaptação do livro homônimo, de Maurice Druon, para o teatro. Ele conta a história de um menino, chamado Tistu que, definitivamente, não é como todo mundo. Tistu tem a difícil missão de desafiar as idéias pré-concebidas da sua época - uma época conturbada pelas guerras, num mundo industrializado e movido pelo comércio.  Filho único de um brilhante fabricante de armas, pré-alfabetizado em casa por sua mãe e vivendo numa bela e rica casa, não se podia esperar tanta confusão na vida dessa criança! Para começar, ele não consegue ficar na escola. Em seguida, tendo aulas com o jardineiro, descobre que possui o raro poder de fazer florescer, em segundos, qualquer semente, em qualquer lugar – só com o toque de seus polegares! O melhor é manter segredo... Aprendendo que, para além de sua casa, há presídios, favelas, doenças e guerras, Tistu percebe que esses males estendem-se até sua casa, família e amigos. Apesar de tão jovem, ele sabe muito bem o que deve fazer e seus polegares não têm mais sossego, levando o poder de transformação das flores a provocar as mais inusitadas situações!

Elenco: Ana Marques, Giancarlo Camargo, Guto Pasini e Tarso Olivier Heckler.
Direção: Marcio Bernardes.
Adaptação: Yulo Cezzar (texto adaptado do livro homônimo de Maurice Druon).
Cenários, adereços e bonecos: Patrícia Preiss e Maira Coelho.
Figurinos: Elizabeth Mânica. 
Direção musical: Tarso Olivier Heckler.
Produção e projeto: A.G.Empreendimentos Sociais e Culturais Ltda. – ME.
Realização: Grupo Ritornelo de Teatro.



Confira a crítica do espetáculo no blog Olhar (es) da Cena.

domingo, 10 de março de 2013

OS BONS SERVIÇOS (RS)


Dias 14, 15 e 16 de Março - 20 h
Teatro do Sesc - Porto Alegre
ENTRADA FRANCA

Assim  como no conto o escritor Júlio Cortázar consegue passar a sensação de que sua protagonista não está sozinha, mas sim acompanhada do leitor em sua incursão por um mundo desconhecido, na peça Os Bons Serviços o que existe também não é um monólogo, mas sim uma aventura onde a personagem aparentemente solitária no palco divide espaço, surpresa e sentimento com a plateia. Em cartaz no Teatro do Sesc para cumprir apenas três apresentações, o espetáculo Os Bons serviços apresenta ao público o novo trabalho do grupo Teatro Depois da Chuva, numa parceria entre a fundadora Betinha Mânica e do diretor Jefferson Bittencourt, da Persona Cia de Teatro, de Florianólopis. Na trama, uma empregada de vida simples e modesta é contratada para cuidar dos cães de estimação dos participantes de uma grande festa dada na principal mansão do bairro. A partir do encontro inusitado com um dos “grã-finos” na festa, Francinet, a empregada, se vê envolvida em uma trama surreal e misteriosa.
De acordo com o grupo,  compartilhar o resultado das experiências através de espetáculos é uma das maneiras encontradas pelo Teatro Depois da Chuva para se expressar, mas não seu único caminho. “O grupo prioriza o aprofundamento da investigação do trabalho do ator, utilizando-se para tanto, do intercâmbio com artistas e grupos, participando de encontros onde os estilos de trabalho são experimentados, articulando possibilidades”. Também consta de sua prática fazer parcerias com outros grupos, atuando nas funções de direção artística, preparação de elenco, criação de coreografias e caracterização de personagens em espetáculos. 


MINIMANUAL DE QUALIDADE DE VIDA (RJ)


Dias 9 e 10 de março
Teatro do CIEE
Dia(s) - Horário(s)
09/03/2013 - 19:00
09/03/2013 - 21:00
10/03/2013 - 18:00



Espetáculo de autoria de Ana Paula Botelho, estrelado por Alexandra Richter, com direção de Daniela Ocampo e direção de produção de Gustavo Nunes. 

A comédia, de forma inteligente e divertida, busca discutir a 
problemática atual de organizar nossas vidas de acordo com os 
padrões de qualidade estabelecidos pela sociedade: precisamos ser cultos, dar atenção à família, cuidar de nossa forma física, de nossa saúde, consumir em grande escala, ter sucesso profissional e pessoal. 
As 24 horas do dia estão se apresentando insuficientes para toda essa demanda. O resultado disso é um stress generalizado, sem precedentes na história. A reflexão sobre o tema é abordada de forma divertida, através de um texto repleto de humor.

sábado, 9 de março de 2013

QUAQUARELA (RS)




11 e 12/05
Sala Álvaro Moreyra
16h
QUAQUARELA é um espetáculo criado a partir de brincadeiras folclóricas, quadrinhas, parlendas e adivinhas populares. Aqui, o Bando de Brincantes dá continuidade a características marcantes de sua trajetória: inspiração no universo infantil, diálogo com a cultura popular, música ao vivo, movimentação acrobática e materiais artesanais.
Os brincantes em cena constroem uma sequência de situações lúdicas, nas quais a brincadeira transforma constantemente o ambiente, as situações e as atmosferas. Em cena, pintor de Jundiaí, boneca de lata, boneco de pano, boi bumbá, pirata da perna-de-pau, bruxa da manteiga, velha a fiar, o galo e a galinha e muito mais.
Os figurinos, cenário e adereços também são inspirados na estética de manifestações folclóricas. Assim, chapéus, perucas, perna-de-pau, bonecos, etc auxiliam na transformação de personagens e cenas. Há uma íntima ligação entre falas e canções na composição dramatúrgica.  Partindo da experiência de trabalhos anteriores, o Bando brinca com criações populares, em um diálogo vivo e contemporâneo, com o objetivo de mobilizar os sentidos e instigar a imaginação.



Ficha Técnica:
Dramaturgia e direção: Viviane Juguero
Direção musical e arranjos: Toneco da Costa
Figurinos, adereços e preparação corporal: Éder Rosa
Iluminação: Miguel Tamarajó
Elenco: Éder Rosa, Toneco da Costa e Viviane Juguero
Cenário, divulgação e produção: o Bando
Fotos: Christian Benvenuti
Criação de material gráfico: Propaganda Futebol Clube
Realização: Bando de Brincantes


Contatos:
www.bandodebrincantes.com.br / brincar@bandodebrincantes.com.br
(51)3392-0181 / 9818-8918

quarta-feira, 6 de março de 2013

A COMÉDIA DOS ERROS (RS)


14 DE MARÇO - 21HS
THEATRO SÃO PEDRO
ENTRADA FRANCA *
A crise de identidade sob o ponto de vista cômico é o tema central de "A Comédia dos Erros", possivelmente a primeira obra escrita por William Shakespeare, que se desenvolve em torno de dois pares de gêmeos idênticos - os dois Antífolos e seus criados Drômios - separados na infância durante um naufrágio e levados a cidades diferentes, cada patrão com seu servidor. Até o reencontro dos irmãos, já adultos, os personagens vivem uma série de mal-entedidos, em uma trama caprichosa e divertida, à qual se articula um eficiente jogo dramático em torno dos conceitos de aparência e realidade.

Texto: William Shakespeare
Elenco: Duda Cardoso, Fernanda Petit, Fernando Kike Barbosa, Janaina Pelizzon, Lauro Ramalho, Marcelo Mertins, Rafael Guerra, Rodrigo Mello, Sofia Salvatori
Direção: Adriane Mottola

*Entrada franca.Distribuição de ingressos a partir do dia 18 de fevereiro.
Informações sobre os pontos de distribuição:
(51) 3362.1061 ou divulgacao@mezaninoproducoes.com.br

AVENTURA NO MUNDO DOS SONHOS (RS)

Escrita e dirigida por Ronald Radde, a peça apresenta a história de um menino, conduzido ao adormecer para um mundo singular, povoado de fantasias e seres guardiões dos sonhos. Ajudado por Alfredo, um valente cavalo branco, e por seu fiel cão, o “linguicinha” Piney, o menino tem de enfrentar um vilão composto por pesadelos, que naquela noite planeja roubar os sonhos de todas as crianças, deixando-as vazias e fáceis de manipular.
Aventura no Mundo dos Sonhos é mais uma grande produção com a marca da Cia. Teatro Novo, envolvendo uma excelente equipe. Além da excelência artística, este espetáculo possui elementos que prometem encantar as crianças e emocionar os adultos: a mensagem de que para enfrentar as adversidades e realizar nossos desejos, precisamos acreditar juntos, “sonhando acordados”.
A trama e os personagens de Aventura no Mundo dos Sonhos prestam homenagens àqueles que fizeram parte da história da companhia teatral e que colaboraram para que esta se tornasse a mais antiga em atividades ininterruptas do Brasil. Há 45 anos, Ronald Radde e a Cia. Teatro Novo são a prova de que sonhar, acreditar e realizar é possível! 

SERVIÇO

Aventura no mundo dos sonhos
10 de março a 28 de julho de 2013
Sempre aos domingos, às 17h
(Dia 24 de Março ENTRADA FRANCA)
Teatro Novo DC – DC Shopping
Rua Frederico Mentz, 1561 D - Navegantes
Informações: 51 3374-7626 / 3374-3722
Site: www.teatronovo.com.br



CANTO PARA IABÁS (RS)

terça-feira, 5 de março de 2013

INIMIGAS ÍNTIMAS (RS)


10 DE MARÇO - 21H
THEATRO SÃO PEDRO 
ENTRADA FRANCA*
Duas amigas de infância transformam-se em inimigas mortais. Ou seriam inimigas vitais? Já que desde a adolescência Mariana e Lúcia vivem à sombra, uma da outra.
Acusam-se, reciprocamente, de roubo: uma teria tomado a vida da outra. Mariana sonhava em ser atriz; Lúcia queria Osmar. Todavia, deu-se o contrário: Lúcia tornou-se atriz e Mariana uma dona de casa, casada com Osmar.
Ao longo dos anos, quis o destino que tivessem encontros insólitos. A todo o momento seus caminhos cruzaram-se nos lugares mais improváveis, onde puderam destilar seus estoques de veneno, despudoradamente.

Texto: Artur José Pinto
Elenco: Fernanda Carvalho Leite, Ingra Liberato
Direção: Néstor Monasterio

*Entrada franca.
Distribuição de ingressos a partir do dia 18 de fevereiro.
Informações sobre os pontos de distribuição:
(51) 3362.1061 ou divulgacao@mezaninoproducoes.com.br

segunda-feira, 4 de março de 2013

TUDO PODE DAR CERTO (RS)

Foto: Martha Reus

06, 13, 20 e 27 de março
Teatro de Câmara Túlio Piva
Quartas às 20h
Entrada Franca

Boris é um intelectual amargurado com o mundo em que vive, sem esperança nos seres humanos e na sociedade contemporânea. Sua rotina é abalada pela visita de Melody, uma jovem vinda do interior, fugindo da clausura retrógrada de seus pais, católicos fervorosos. Como toda boa comédia de Woody Allen, essa é repleta de personagens neuróticos que expõe com toda a força sua fragilidade iminente, mostrando um pouquinho da histeria que existe em todos nós.
Elenco Andressa Grando Howell, Anelise Barra Ferreira, Anelise Fruett, Carolina Azambuja, Clarice Cerentini, Diego Pessoa, Ismael Goulart, Jade Knorre, Juliana Minho, Márcia Rapetto, Mauricio Schames, Nina Moreira e Roberta Koche
Iluminação Catarino Grosser
Operação de som Catharina Cecato Conte
Direção Catharina Cecato Conte
Produção Comica Cultural

UMA HISTÓRIA RADICALMENTE CONDENSADA DA VIDA PÓS-INDUSTRIAL (SP)



O espetáculo UMA HISTÓRIA RADICALMENTE CONDENSADA DA VIDA PÓS-INDUSTRIAL será encenado no bar boêmio Van Gogh, que fica na esquina da Rua da República com a Av. João Pessoa, entre os próximos dias 8 e 10 – sexta e sábado às 21h, domingo às 20h.

O espetáculo, que ganhou o Prêmio Myriam Muniz de Circulação da Funarte, tem direção de Carolina Mendonça, adaptação de Roberto Taddei e conta no elenco com Amanda Lyra, Rodrigo Bolzan e Luis Roberto Soares.
A montagem paulista, baseada no livro Breves Entrevistas com Homens Hediondos, do escritor norte-americano David Foster Wallace, (encenada recentemente pelo Grupo gaúcho Teatro Sarcáustico) mistura em um mesmo ambiente espectadores, atores e frequentadores do bar.
Porém, apenas os espectadores munidos de fones de ouvido têm acesso ao que dizem os atores em microfones de lapela – e que atuam em meio ao público, em uma noite normal de funcionamento.
DIREÇÃO
Carolina Mendonça
ADAPTAÇÃO
Roberto Taddei
ELENCO
Amanda Lyra
Bruno Freire/Rodrigo Bolzan
e Luis Roberto Soares
CRIAÇÃO DE SOM
Miguel Caldas
DIREÇÃO DE ARTE
Amanda Antunes
VIDEO E FOTOGRAFIA
Cris Lyra
Voz em off
Roberto Taddei
Bruno Freire
IDEALIZAÇÃO
Amanda Lyra e Roberto Taddei
CRIAÇÃO
Amanda Lyra, Bruno Freire, Carolina Mendonça, Luis Roberto Soares e Roberto Taddei
DA OBRA DE
David Foster Wallace
IMAGENS DO VÍDEO
Ricardo Sêco e Leonardo Siqueira
EDIÇÃO DO VÍDEO
Ricardo Sêco

Conheça o blog do espetáculo.

FRIDA KAHLO, À REVOLUÇÃO (RS)

Foto: Giovani Paim

07 de março - 20h
Teatro do Sesc - Porto Alegre/RS
Entrada franca para mulheres comerciárias com Cartão Sesc/ Senac; 
R$ 7,50 para estudantes, idosos e classe artística 
R$ 10,00 para empresários e dependentes com Cartão Sesc/ Senac; e R$ 15,00 para o público em geral.
A sinceridade e a suavidade do amor e da existência de Frida Kahlo, mesmo com tantas inglórias e tristezas pessoais. Como ela mesma disse, mesmo que a falta de princípios do homem traga a descrença na humanidade, ainda assim devemos nos concentrar nas flores, cujo perfume confirma a esperança de que algum dia as ações do mesmo homem poderão desprender um aroma tão agradável quanto aquele. Por isso nos concentramos na flor; por isso esta é a nossa Frida Kahlo: a beleza da fita envolta na dureza da bomba.
Direção de Daniel Colin
Texto e atuação: Juçara Gaspar
Trilha ao vivo: Luciano Alves
Luz: Carol Zimmer
Cenografia: Lara Coletti


domingo, 3 de março de 2013

GURI DE URUGUAIANA (RS)


09 DE MARÇO - 18H E 21H
THEATRO SÃO PEDRO 
ENTRADA FRANCA*
(Dentro do Projeto Mostra do Teatro Gaúcho)

Temporada
03 de abril a 28 de abril
de 4ª feira a sábado as 21h
Domingos as 18h
Ingressos no local
O humorista Jair Kobe traz com seu personagem o Guri de Uruguaiana, novidades e diferentes versões do canto alegretense como Paula Fernandes, Michel Teló e novo hit com Guri Psyganguri Style.
Um espetáculo no qual o Guri de Uruguaiana dança e conta causos hilários como o do tempo que era viciado em erva... erva mate!

Texto: Jair Kobe.
Direção: Jair Kobe.
Elenco: Jair Kobe, Luiz Antonio Souza, Álvaro Luthim, Vitor Leal.

*Entrada franca. Distribuição de ingressos a partir do dia 18 de fevereiro.
Informações sobre os pontos de distribuição:
(51) 3362.1061 ou divulgacao@mezaninoproducoes.com.br 

QUANDO EU TINHA (RS)

Foto: Adriana Sommacal

05, 12, 19 e 26 de março
Sala Álvaro Moreyra
Terças às 20h
Entrada Franca

Através dos corpos em contato, dançando e atravessando o espaço, os atores trazem histórias, memórias e lembranças, tendo a morte como pano de fundo, e construindo assim um espaço de atuação no qual o público é convidado a compartilhar suas próprias memórias, realizando um questionamento sobre a morte, sobre a vida, sobre a sua história. "A morte é fechar uma porta. Uma cortina. Apagar a luz. Parar".
Elenco André Macedo e Marcia Berselli;
Orientação Laura Backes

sábado, 2 de março de 2013

HOSPÍCIO COMEDY (RS)


08 DE MARÇO - 21HS
THEATRO SÃO PEDRO
ENTRADA FRANCA*
O Hospício Comedy apresenta 5 personagens no espetáculo mais interativo do RS. O mestre de cerimônias Ródsom dos Anjos é responsável pela apresentação dos componentes do espetáculo, Gentil, Edenilso Catarino e Murrito Nogueira, além do mini-louco. A peça tem diversos momentos de interatividade, onde o ponto alto se dá no UFC, Ultimate Fucking Cantadas, onde Gentil e Ródsom dos Anjos disputam a preferência feminina da platéia.

Roteiro: Cris Pereira, Eduardo Mendonça e Luciano Barth Lopes.
Elenco: Cris Pereira, Eduardo Mendonça e Fábio Padilha.
Direção coletiva.

Classificação: 14 anos.

*Entrada franca.

Distribuição de ingressos a partir do dia 18 de fevereiro.

Informações sobre os pontos de distribuição:
(51) 3362.1061 ou divulgacao@mezaninoproducoes.com.br

ANIMAIS EM PERIGO (RS)


Ator Nando Ramoz
Período: De 02 a 10 de março de 2013.
Dias: Sextas, às 10h e 15h para escolas e grupos infantis (agendamento pelo telefone 3225-7089)
Sábados e domingos, às 16h
Local: Sala Lili Inventa o Mundo – 5ª andar da Casa de Cultura Mario Quintana (Andradas, 736)
Ingressos: R$ 15,00 (público em geral), R$ 10,00 idosos e R$ 8,00 escolas. 

Com texto, direção e atuação de Nando Ramoz, “Animais em Perigo” segue em cartaz na Sala Lili Inventa o Mundo da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), até 10 de março, nas sextas-feiras, às 10 e 15h, mediante agendamento de escolas (telefone 3225-7089) e sábados e domingos, às 16h, para público em geral. Ingressos a R$ 15,00 e R$ 10,00 para maiores de 60 anos.

De maneira simples, o espetáculo visa estimular as crianças a cuidar e preservar a natureza, em especial os animais. Professor Jaques é um pesquisador que mora em uma praia deserta. Em seu trabalho, faz patrulha diária pela beira da praia, quando vai encontrando animais, machucados ou doentes. Ao levá-los para casa, acaba causando uma série de confusões e situações engraçadas e curiosas. O público irá se surpreender com os pinguins, se assustar com a gaivota e ajudar a tartaruga gigante e o lobo marinho e voltarem para suas casas, assim como saber onde o Gato Sapato está morando.