quinta-feira, 15 de setembro de 2016

GRUPO VÁLVULA DE ESCAPE RETORNA COM NOVO TRABALHO


E tem notícia boa! OGrupo Válvula de Escape está de volta. Desde o inicio de agosto estamos em sala de ensaio preparando nosso novo espetáculo que tem o título provisório de "CONVERSA DE BOTAS BATIDAS,  que trata de uma adaptação da obra de Fernando Arrabal "O Arquiteto e o Imperador de Assíria". O Grupo foi contemplado no edital de ocupação OCUPA MÀRIO 2016 da Casade Cultura Mário Quintana. O espetáculo tem previsão de estreia para o primero semestre de 2017. O grupo conta com a direção de Diego Ferreira e no elenco estão: Gianna Soccol, Leticia Pagot, Radamés Paz, Philippe Coutinho, Elton Ambrozi e Pamela Magalhães. 

domingo, 12 de junho de 2016

NOITE FELIZ em Novo Hamburgo

E no próximo dia 17 de Junho o Grupo Skatá formado por alunos do Curso de Formação de Atores do Galpão de Artes vai participar do seu primeiro festival de Teatro: 25° Festival de Esquetes de Novo Hamburgo na categoria Amador/Oficinas... O grupo está muito contente por esta oportunidade e esperamos realizar um lindo trabalho. 

Dia 17/06 as 20hs
Teatro Pascoal Carlos Magno em Novo Hamburgo
NOITE FELIZ
TEXTO: Vera Karam
DIREÇÃO: Diego Ferreira
ELENCO: Bruna Kirsten, Gabriel Gonçalves, Gabriela Costa, Gabriele Santos, Joana Caspar, Nicole Leifeith e Francisco Backhaus
Figurnos/Cenário: Grupo Skatá
Trilha Sonora: Diego Ferreira

sexta-feira, 25 de março de 2016

PLATAFORMA K: Pequenas histórias de Vera Karam

TEMPORADA DO ESPETÁCULO  EM CANOAS
DIAS 09, 16, 23 E 30 de Abril as 18h e 20h 
Galpão de Artes
(Av. Açucena, 1401 - Moinhos de Vento. Canoas)
INGRESSOS R$ 10,00 (Lugares limitados)

Informações: (51)3032.2501

O espetáculo PLATAFORMA K – Pequenas histórias de Vera Karam será apresentado pelo Grupo Skatá/Galpão de Artes. Este é o resultado do segundo semestre da Turma de Formação de Atores do Galpão de Artes. A proposta deste semestre foi trabalhar a partir de um texto da dramaturgia brasileira e a escolha recaiu sobre Vera Karam, autora gaúcha já falecida que deixou uma vasta obra recheada de peças, contos e crônicas. Na verdade é uma grande homenagem a Vera Karam. O espetáculo é apenas um recorte de sua obra e traz a cena três histórias curtas que são entrecortadas por sonhos e devaneios dos próprios atores e do próprio fazer teatral, utilizando como metáfora a plataforma da cidade de Canoas. Uma homenagem ao teatro! Fazem parte do espetáculo três Cenas: “Dá licença, por favor!”, “Noite Feliz” e “Será o contrário a vida de atriz?”
Em “Será o contrário a vida de atriz?” duas atrizes divagam sobre as metáforas da vida e sobre o fazer teatral dentro de um camarim. Em “Noite Feliz” temos a noite de Natal de uma família emergente, que finalmente pode contratar um Papai Noel para presentear os filhos e familiares agregados. Mas ele acaba se surpreendendo com esse “bico” noturno, pois a anfitriã o tranca no apartamento logo após ter cumprido o combinado, que era apenas o de entregar os presentes a todos os convidados. E “Dá licença, por favor!”duas mulheres disputam um lugar na platéia de um teatro e a partir disso debatem temas da sociedade, tolerância e respeito com muito humor característico da autora.

PLATAFORMA K – Pequenas histórias de Vera Karam
Grupo Skatá (Oficina de Formação de Atores Galpão de Artes)
Dramaturgia a partir da obra de Vera Karam
Direção: Diego Ferreira
Elenco: Bianca Gudaites, Nicole Leifheit, Joana Caspar, Victória Mugnol, Gabriela Costa, Gabrielle Santos, Gabriel Gonçalves, Bruna Kirsten
Cenário: Grupo Skatá
Figurinos: Grupo Skatá
Trilha Sonora: Diego Ferreira
Arte Gráfica: Diego Ferreira
Produção: Grupo Skatá

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

TEATRO EM CANOAS - ESCOLA DE ARTES GALPÃO DE ARTES - Matriculas Abertas 2016

E estão abertas as inscrições para mais uma turma de Teatro Adulto do Galpão de Artes de Canoas. Está é a 4ª turma a ingressar no curso que tem duração de 3 anos com aulas práticas e teóricas.   
E aos sábados terá mais uma turma de TEATRO INFANTIL
Interessados entrar em contato com GALPÃO DE ARTES
Av. Açucena, Moinhos de vento, 1401, Canoas,
Fones: (51)3032.2501

PÚBLICO-ALVO: Todos os interessados a partir de 15 anos, com interesse em se profissionalizar em teatro.
TURMAS DISPONÍVEIS:
NOVA TURMA : I Módulo: Segundas, das 19h às 21:30h.
VOLTA AS AULAS: 25 de Janeiro de 2016.

DURAÇÃO DO CURSO DE CADA MÓDULO: 12 meses.
De 25/Janeiro a 19/Dezembro (Não há recesso no meio do ano)
LOCAL DAS AULAS: Galpão de Artes.
METODOLOGIA: O curso completo é composto por 3 módulos (Iniciação, intermediário e avançado), tendo duração de 36 meses (três anos) de aulas práticas e teóricas. Cada módulo é composto de 12 meses. Haverá seminários teóricos, MOSTRA TEATRAL ao final de cada módulo e, 03 (três) ESPETÁCULOS TEATRAIS abertos a público e divulgados na imprensa de grande circulação impressa e virtual. O objetivo do curso é propiciar ao aluno uma formação aprofundada em teatro para que ao concluir o curso ele possa fazer o registro profissional (DRT) junto ao Ministério do Trabalho.
CONTEÚDOS: Experimentação de um processo criativo em teatro. Estudo da presença cênica calcada na fiscalização do ator. Diferenças entre cotidiano e extra cotidiano. Aulas práticas de expressão corporal; expressão vocal; musicalização; acrobacias; dança contemporânea; improvisação; jogos dramáticos e teatrais; atuação cênica; aulas e seminários teóricos; vivências coletivas com exercícios de teatro e dança contemporânea; experimentações com performances, desenvolvimento da dramaturgia do corpo do ator e atuação cênica, noções de produção teatral.
DISCIPLINAS: Expressão Corporal; Expressão Vocal; Atuação Teatral; Estudo da Dramaturgia do Corpo; Improvisação para Construção de Dramaturgia; História das Artes Cênicas no Ocidente; Dramaturgia Contemporânea e Brasileira; Módulo Especial de Montagem de Cenas; Módulo Especial de Montagem de Espetáculo (níveis 1 e 2); Módulo Especial de Produção Cênica.
EXCLUSIVIDADES DO CURSO: Certificado de conclusão do curso. Obs.: Para obter o certificado é necessário ter 75% de presença nas aulas.
PROFESSOR(a): Diego Ferreira – Graduado em Teatro/UERGS. Professor do Unilasalle nas disciplinas de Expressão Corporal I e II e no Espaço Cultural Crisálidas de Porto Alegre. Crítico Teatral. Ator e Diretor e do Grupo Válvula de Escape. Entre seus principais trabalhos estão: “A Filha da Escrava” (2013), “Wilma e Elza” (2009), “Travessia” (2009), “Assovio no vento escuro” (2010), “Tempos Perdido” (2011), "essa propriedade está condenada" (2015). 

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS (RS)

Via Olhares da Cena
Foto: Adriana Marchiori
Qualidade, bom gosto e requinte nos palcos gaúchos

“Dona Flor e seus dois maridos”, abriu a programação do Porto Verão Alegre. Trata-se de uma adaptação e apropriação da obra de Jorge Amado. O espetáculo gaúcho parte de uma das obras mais conhecidas do Brasil. O que diferencia este trabalho das outras linguagens ao qual já fora adaptado:  o cinema, a literatura e a televisão é a apropriação da teatralidade latente e potente vistos no palco. Dirigido por Zé Adão Barbosa, Carlota Albuquerque e Larissa Sanguiné “Dona Flor” destila na cena uma série de sensações provocadas por sons, cores, texturas, aromas e os corpos dos atores provocando no espectador uma verdadeira catarse.
O espetáculo é uma verdadeira homenagem a obra de Jorge Amado, pois os diretores não se contaminaram pela grande oferta de referenciais existentes e já realizados acerca da obra, pelo contrário, souberam criar, cada um a seu modo, uma cena inventiva e poética, recheada de signos e simbologias partindo de elementos muito simples que remetem a vida noturna de Salvador.
A chamada pós modernidade teatral articulou novos padrões de encenação, requisitando do espectador uma percepção centrada nas sensações, ora desconstruindo a fábula, e evitando qualquer significado racional, ora centrado na experiência estética da performance da representação. E é justamente o que acontece neste trabalho. A priori, o espectador já conhece a fábula da narrativa, o triângulo Flor-Vadinho-Teodoro está enraizado na cultura brasileira principalmente pela abordagem televisiva,... 

Texto completo no blog OLHARES DA CENA

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

DESTAQUES DO 6º PRÊMIO VÁLVULA DE ESCAPE/OLHARES DA CENA

E chegou o momento de revelar quais foram os destaques dos blogs Válvula de Escape e Olhar(es) da Cena no teatro em 2015. Como já expliquei em outras postagens, trata-se apenas de homenagear aqueles profissionais que, no meu ponto de vista, merecem ser destacados neste ano que está findando. 
Tenho fixação em criar listas, e desde 2010 faço esta brincadeira saudável e destacar o que assisti e realmente me chamou atenção. Então vamos conhecer os destaques da 6ª edição do Prêmio Válvula de Escape. Parabéns a todos os profissionais.

HOMENAGEM ESPECIAL
2015 foi um ano de perdas nos palcos gaúchos, portanto gostaria de homenagear duas figuras que foram alicerces das artes cênicas. Lúcia Bendati e Hermes Bernardi Jr., nossos aplausos são seus.

LÚCIA BENDATI


HERMES BERNARDI JR.



E os destaques são: 
TEATRO GAÚCHO


MAQUIAGEM


Aldo Júnior Freitas e Gustavo Diestmann
 MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS

DESIGN GRÁFICO/IDENTIDADE VISUAL

Marcel Trindade - O homem mais sério do mundo

FOTOGRAFIA DE CENA

Luciane Pires Ferreira - Os homens do triângulo Rosa


TRILHA SONORA
Candido Castro Gian Becker Israel Silva de Oliveira Daniel Fraga Tambor falante - Encanto Zumbi


ILUMINAÇÃO
Eduardo Kraemer - Cadarço de Sapato ou Ninguém está acima da redenção


CENOGRAFIA
Alexandre Navarro - Cadarço de Sapato ou Ninguém está acima da Redenção


FIGURINO
Antônio Rabadan - Os homens do triângulo Rosa

ATRIZ COADJUVANTE
Gisela Habeyche Os homens do triângulo Rosa


ATOR COADJUVANTE
Emílio Farias - Encanto Zumbi



ATOR
Marcelo Adams - Os homens do triângulo Rosa



ATRIZ
Nathália Barp - Macbodas - Tequila, guacamole y algo más


DRAMATURGIA
Thiago Pirajira, Camila Falcão, Bruno Cardoso, Bruno Fernandes, Kyky Rodrigues, Laura Lima, Manuela Miranda e Silvana Rodrigues 
 Qual a diferença entre o charme e o funk?


DIREÇÃO
Margarida Peixoto - Os homens do triângulo Rosa


ESPETÁCULO

Qual a diferença entre o charme e o funk?




TEATRO NACIONAL

PRÊMIO ESPECIAL
Sérgio Penna - bailarino CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO


MAQUIAGEM
Traço Cia. de Teatro - AS TRÊS IRMÃS


DESIGN GRÁFICO/IDENTIDADE VISUAL
Roberta de Freitas - IRMÃOS DE SANGUE


FOTOGRAFIA DE CENA
Renato Mangolin - IRMÃOS DE SANGUE

TRILHA SONORA

Felipe Storino - EDYPOP


ILUMINAÇÃO
Bertrand Perez e Artur Luanda Ribeiro - IRMÃOS DE SANGUE



CENOGRAFIA
André Curti e Artur Luanda Ribeiro - IRMÃOS DE SANGUE



FIGURINO
Natacha Belova - IRMÃOS DE SANGUE


ATRIZ COADJUVANTE 
Rita Cidade - AVENTAL TODO SUJO DE OVO


ATOR COADJUVANTE
Edceu Barbosa - AVENTAL TODO SUJO DE OVO


ATOR/BAILARINO
Marconi Araújo - PROIBIDO ELEFANTES


ATRIZ
Débora de Matos, Greice Miotello e  Paula Bittencourt - AS TRÊS IRMÃS

DRAMATURGIA
Marcos Barbosa - AVENTAL TODO SUJO DE OVO


DIREÇÃO
André Curti e Artur Luanda Ribeiro - IRMÃOS DE SANGUE


ESPETÁCULO
PROIBIDO ELEFANTES


quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

INDICADOS AO 6º PRÊMIO VÁLVULA DE ESCAPE/OLHARES DA CENA

Sérgio Setti - Vencedor 2014 da categoria "Fotografia de Cena" espetáculo "As cinco pontas de uma estrela torta"
TEATRO GAÚCHO

MAQUIAGEM

Margarida Peitoxo - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
Aldo Júnior Freitas e Gustavo Diestmann - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS
Daniel Gustavo - O HOMEM MAIS SÉRIO DO MUNDO
Makki Produções - A PRINCESA ENGASGADA
Orquestra de Brinquedos - ORQUESTRA DE BRINQUEDOS

DESIGN GRÁFICO/IDENTIDADE VISUAL

Priscila Bueno - ENCANTO ZUMBI
Francisco Gick e Luan Silveira - MACBODAS:TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS
Marcel Trindade - O HOMEM MAIS SÉRIO DO MUNDO
Grupo Teatral Trupe - O MÉDICO QUE RECEITAVA LIVROS
Gabriel Besnos e Matheus Chisté - A PRINCESA ENGASGADA

FOTOGRAFIA DE CENA

Luciane Pires Ferreira - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
Andre Reali Olmos - QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?
Júlia Ludke - O HOMEM MAIS SÉRIO DO MUNDO
Makki Produções - A PRINCESA ENGASGADA
Júlia Ludke e Paula Carvalho - UMBIGO
Coletivo Errática - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS

TRILHA SONORA

Candido Castro, Gian Becker Israel Silva de Oliveira Daniel Fraga Tambor falante - ENCANTO ZUMBI
Marcelo Adams - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
João Pedro Cé - QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?
Gabriel Gorski e Sergio Baiano - O HOMEM MAIS SÉRIO DO MUNDO e UMBIGO
Yanto Laitano - ORQUESTRA DE BRINQUEDO

ILUMINAÇÃO

Carlos Azevedo - ENCANTO ZUMBI
Eduardo Kraemer - CADARÇO DE SAPATO OU NINGUÉM ESTÁ ACIMA DA REDENÇÃO
Mauricio Moura - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
Guto Greca - QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?
Diones Leidens e Marcelo de Carvalho  - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS



CENOGRAFIA

Alexandre Navarro - CADARÇO DE SAPATO OU NINGUÉM ESTÁ ACIMA DA REDENÇÃO
Gil Collares - ENCANTO ZUMBI
Yara Balboni - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
O Grupo - QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?
Coletivo Errática - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS

FIGURINO

Antônio Rabadan - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
Fabrizio Rodrigues - ENCANTO ZUMBI
Gustavo Dienstmann - Macbodas
Leopoldo Schneider - A PRINCESA ENGASGADA
Daniel Lion - ORQUESTRA DE BRINQUEDO

ATRIZ COADJUVANTE

Gisela Habeyche OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
Laura Lima - QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?
Thaís Backes - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS
Guega Peixoto - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS
Bruna Elias - UM CONTO PARA UM REI TONTO
Sónia Magina - PÃO COM LINGUIÇA


ATOR COADJUVANTE

Emilio Farias - ENCANTO ZUMBI
Frederico Vasques - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
Bruno Cardoso - QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?
Bruno Fernandes - QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?
Gustavo Susin - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA 
Henrique Leal - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS

ATOR

Gil Collares - ENCANTO ZUMBI
Marcelo Adams - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
Francisco Gick - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS
Daniel Gustavo - O HOMEM MAIS SÉRIO DO MUNDOe UMBIGO
Leo Bello - UMBIGO

ATRIZ

Nathália Barp - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS
Carol Oliveira - O MÉDICO QUE RECEITAVA LIVROS
Bruna Immich - UMBIGO
Renata Severo - UM CONTO PARA UM REI TONTO
Anelise Karmas - PÃO COM LINGUIÇA


DRAMATURGIA

Coletivo Errática - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS
Marcelo Adams - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
Totonho Lisboa - O MÉDICO QUE RECEITAVA LIVROS
Fábio Castilhos - UMBIGO
Thiago Pirajira, Bruno Fernandes, Bruno Cardoso, Camila Falcão, Kyky Rodrigues, Laura Lima, Manuela Miranda e Silvana Rodrigues - QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?

DIREÇÃO

Gil Collares - ENCANTO ZUMBI
Margarida Peixoto - OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
Tiago Pirajira - QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?
Jezebel de Carli e Coletivo Errática - MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS
Caroline Falero - UMBIGO

ESPETÁCULO

ENCANTO ZUMBI
OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?
MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS
UMBIGO


Gero Camilo - Melhor Ator 2014 "C Casa Amarela"

TEATRO NACIONAL

MAQUIAGEM
Traço Cia. de Teatro - AS TRÊS IRMÃS
Marco Andre Nunes - Edypop


DESIGN GRÁFICO/IDENTIDADE VISUAL
Traço Cia. de Teatro - AS TRÊS IRMÃS
Roberta de Freitas - IRMÃOS DE SANGUE
Anderson Leão - PROIBIDO ELEFANTES
Espanca! - CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO


FOTOGRAFIA DE CENA
Renato Mangolin - IRMÃOS DE SANGUE
Rodrigo Sena - PROIBIDO ELEFANTES
Cia. Traço - AS TRÊS IRMÃS
Guto Muniz - CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO
Alex Hermes - AVENTAL TODO SUJO DE OVO


TRILHA SONORA
Felipe Storino - EDYPOP
Jânio Tavares - AVENTAL TODO SUJO DE OVO
Toni Gregório - PROIBIDO ELEFANTES
Cassiano Vedana, Gabriel Junqueira Cabral, Mariella Murgia e Neno Miranda - AS TRÊS IRMÃS
Fernando Mota - IRMÃOS DE SANGUE


ILUMINAÇÃO
Renato Machado - EDYPOP
Jânio Tavares - AVENTAL TODO SUJO DE OVO
Ronaldo Costa - PROIBIDO ELEFANTES
Nadja Naira - CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO
Ivo Godois - AS TRÊS IRMÃS
Bertrand Perez e Artur Luanda Ribeiro - IRMÃOS DE SANGUE


CENOGRAFIA
Fernando Mello da Costa - EDYPOP
Jânio Tavares e Wanderley Peckovski  - AVENTAL TODO SUJO DE OVO
André Curti e Artur Luanda Ribeiro - IRMÃOS DE SANGUE
Giradança - PROIBIDO ELEFANTES
Cia. Traço de Teatro - AS TRÊS IRMÃS

FIGURINO
Marcelo Marques - EDYPOP
Loris Haas - PROIBIDO ELEFANTES
Traço Cia. de Teatro - AS TRÊS IRMÃS
Natacha Belova - IRMÃOS DE SANGUE


ATRIZ COADJUVANTE 
Isadora Medella - EDYPOP
Laura Araújo - EDYPOP
Zizi Telécio - AVENTAL TODO SUJO DE OVO
Rita Cidade - AVENTAL TODO SUJO DE OVO
Gláucia Vandeveld - CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO
Raquel Iantas - IRMÃOS DE SANGUE

ATOR COADJUVANTE
Jorge Caetano - EDYPOP
Jandir Ferrari - EDYPOP
Edceu Barbosa - AVENTAL TODO SUJO DE OVO
Marcelo Castro - CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO
Alexandre de Sena - CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO
Daniel Leuback - IRMÃOS DE SANGUE


ATOR
Remo Trajano - EDYPOP
João Velho- EDYPOP
ÁLVARO DANTAS - PROIBIDO ELEFANTES
Marconi Araújo - PROIBIDO ELEFANTES
Rodrigo Minotti - PROIBIDO ELEFANTES
Marcelo Bones - CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO
André Curti - IRMÃOS DE SANGUE
Artur Luanda Ribeiro - IRMÃOS DE SANGUE


ATRIZ
Letícia Spiller - EDYPOP
Joaquina Carlos - AVENTAL TODO SUJO DE OVO
Débora de Matos - AS TRÊS IRMÃS
Greice Miotello - AS TRÊS IRMÃS
Paula Bittencourt - AS TRÊS IRMÃS



DRAMATURGIA
Pedro Kosovski - EDYPOP
Marcos Barbosa - AVENTAL TODO SUJO DE OVO
Marianne Consentino - AS TRÊS IRMÃS
André Curti e Artur Luanda Ribeiro - IRMÃOS DE SANGUE
Grace  Passô - CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO


DIREÇÃO
Marco André Nunes - EDYPOP
Jânio Tavares - AVENTAL TODO SUJO DE OVO
Clébio Oliveira e Anderson Leão - PROIBIDO ELEFANTES
Marianne Consentino - AS TRÊS IRMÃS
André Curti e Artur Luanda Ribeiro - IRMÃOS DE SANGUE


ESPETÁCULO
EDYPOP
AVENTAL TODO SUJO DE OVO
PROIBIDO ELEFANTES
AS TRÊS IRMÃS
IRMÃOS DE SANGUE


A lista da seleção do autor do blog será divulgada no dia 30/12.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

6º PRÊMIO VÁLVULA DE ESCAPE/OLHARES DA CENA * ESPETÁCULOS CONCORRENTES 2015

"O MAL ENTENDIDO" Vencedor de 2014
E o ano de 2015 está encerrando e chegou a hora de conhecermos os espetáculos que poderão concorrer ao Prêmio Válvula de Escape/Olhares da Cena. Chegamos ao 6º ano deste prêmio que nada mais é que o reconhecimento aos profissionais que fizeram a diferença no ano de 2015 nos palcos gaúchos. Este ano pela primeira vez dividimos as categorias em Espetáculo Nacional e Espetáculo Gaúcho e o único critério para concorrer é que o espetáculo tenha sido assistido neste ano, portanto não necessáriamente precisa ter sido estreado neste ano e pode ter sido apresentado nos alcos do interior do estado.
A cada final de ano eu elenco todos os espetáculos que assisti durante o ano, faço as devidas indicações destacando segundo critérios pessoais cada categoria para em seguida eleger os melhores do ano. Evidencio que como é uma eleição independente e acima de tudo uma grande brincadeira, apenas entram aqui os espetáculos aos quais assisti, sendo que não assisti a todos os espetáculos em cartaz, as vezes por questões de tempo, as vezes por questões financeiras, valendo para todos os espetáculos tanto os do estado (capital e interior) quanto os visitantes. 
Geralmente assisto a muitos espetáculos, gosto de assistir e escrever sobre, mas este ano por muitas questões assisti a poucos espetáculos, apenas 21, mas mesmo assim decidi rememorar através de mais uma edição desta brincadeira.

Confira nos links abaixo os vencedores das edições anteriores:



Espetáculos
1. ENCANTO ZUMBI
2. CADARÇO DE SAPATO
3. PATAS ARRIBAS
4. OS HOMENS DO TRIÂNGULO ROSA
5. QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CHARME E O FUNK?
6. MACBODAS: TEQUILA, GUACAMOLE Y ALGO MÁS
7. O HOMEM MAIS SÉRIO DO MUNDO
8. O MÉDICO QUE RECEITAVA LIVROS
9. JOÃO E MARIA
10. NOITE FELIZ
11. UM CONTO PARA UM REI TONTO
12. UMBIGO
13. A PRINCESA ENGASGADA
14. ORQUESTRA DE BRINQUEDOS
15. PÃO COM LINGUIÇA
16. AVENTAL TODO SUJO DE OVO (CE)
17. PROIBIDO ELEFANTES (RN)
18. CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO (MG)
19. EDYPOP (RJ)
20. AS TRÊS IRMÃS (SC)
21. IRMÃOS DE SANGUE (BR/FRA)

Nos próximos dias a lista dos indicados...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

III MOSTRA DE TEATRO DO GALPÃO DE ARTES

E na próxima quarta feira dia 16 de dezembro será realizada a III Mostra da Escola de Artes Galpão de Artes. A mostra será realizada no auditório do Colégio Cristo Redentor (ULBRA), que fica na rua Inconfidência, 1231 em Canoas a partir das 19h. Os ingressos já estão a venda a R$ 20,00.
Informações em Galpão de Artes
Neste dia será apresentado um espetáculo teatral e dois exercícios cênicos sob minha orientação.

PLATAFORMA K : Pequenas histórias de Vera Karam

Elenco: Bianca Gudaites, Bruna Kirsten, Nicole Leifth, Victória Mugnol, Gabriela Costa, Gabrielle Santos, João Gabriel Gonçalves, Joana Caspar, Rosa Marlene Fontana.
Tempo de duração: 40 minutos
Sinopse/resumo: 
O espetáculo PLATAFORMA K – Pequenas histórias de Vera Karam será apresentado pelo Grupo Skatá/Galpão de Artes.  Este é o resultado do segundo semestre da Turma de Formação de Atores do Galpão de Artes. A proposta deste semestre foi trabalhar a partir a partir de um texto da dramaturgia brasileira e a escolha recaiu sobre Vera Karam, autora gaúcha já falecida que deixou uma vasta obra recheada de peças, contos e crônicas. Na verdade é uma grande homenagem a Vera Karam. O espetáculo é apenas um recorte de sua obra e traz a cena três histórias curtas que são entrecortadas por sonhos e devaneios dos próprios atores e do próprio fazer teatral. Uma homenagem ao teatro! Fazem parte do espetáculo três Cenas: “Dá licença, por favor!”, “Noite Feliz” e “Será o contrário a vida de atriz?”
Em “Será o contrário a vida de atriz?” duas atrizes divagam sobre as metáforas da vida e sobre o fazer teatral dentro de um camarim. Em “Noite Feliz” temos a noite de Natal de uma família emergente, que finalmente pode contratar um Papai Noel para presentear os filhos e familiares agregados. Mas ele acaba se surpreendendo com esse “bico” noturno, pois a anfitriã o tranca no apartamento logo após ter cumprido o combinado, que era apenas o de entregar os presentes a todos os convidados. E “Dá licença, por favor?”duas mulheres disputam um lugar na platéia de um teatro e a partir disso debatem temas da sociedade, tolerância e respeito com muito humor característico da autora.



EXERCÍCIO TEATRAL “BREVES CONVERSAS SOBRE LIXO, ROSQUINHAS E COMPANHEIRISMO”
Elenco: Alexya Cunha, Braian Alfonsin, Luana, Francine Morais, Victória Grando, Scheila Amaral, Emely Bitencourt.
Tempo de duração: 15 minutos
Sinopse/resumo: 
A proposta deste exercício teatral é apresentar cenas curtas produzidas pela turma do 1º semestre do Curso de Formação de Atores do Galpão de Artes. Trata-se de introduzir os alunos no universo teatral, onde eles estão tendo sua primeira experiência junto ao público, por isso chamamos esta experiência de exercício ao invés de espetáculo, pois são cenas curtas que abrangem o que foi estudado em sala de aula. Para montarmos este exercício utilizamos três textos curtos: “No botequim” de Jô Soares, “Lixo” de Luis Fernando Veríssimo e “Cenas Avulsas” de Caio Fernando Abreu. Trata-se de três cenas divertidas que demonstram situações do cotidiano. 


Brincadeira Teatral: ALICE NO PAÍS DO DIVERTIDAMENTE (Turma Infantil)
Elenco: Lucas Siqueira, Nicolas Cardoso, Julia Rosa, Isabelly Holstein, Bruna Ferreira, Maria Júlia Lissarassa, Helena Goulart, William Proença, Henrique Cannavô e Giulia Goulart.
Tempo de duração: 15 MINUTOS
Sinopse/resumo: 
O espetáculo deste ano tem como diferencial a união das duas tumas de teatro infantil do Galpão de Artes. A narrativa da peça também vai de encontro disso, faz um recorte da história de “Alice” e da narrativa do filme “Divertidamente” e faz uma união disso tudo. Na nossa história Alice cai num buraco e vai parar num mundo estranho, porém divertido, onde tudo e todos agem de forma muito estranha, uma história sem pé nem cabeça. 

sábado, 21 de novembro de 2015

HERMES BERNARDI JR.

E nos deixou hoje o escritor e ilustrador Hermes Bernardi Jr. Hermes tinha uma relação estreita com o teatro. 

Em teatro, dirige e roteiriza a leitura dramática de "Duas Mulheres de Caio", sobre a obra de Caio Fernando Abreu, "Janelas", sobre a obra de Eduardo Galeano, e "A Música do Boi", sobre o auto-popular do boi-bumbá.

Codirige e produz o espetáculo infantil "Passa, Passará".

Como ator, atua nos espetáculos "Arlequim, Servidor de Dois Patrões", "As Núpcias de Teodora", "Olhos Negros". Atua e adapta o texto "Carta ao Pai".

Participa da Oficina de Critica Teatral, com Aimar Labaki, no Festival de Teatro de Curitiba 2005; da Oficina Dramaturgia e Roteiros, na UFPR, com Margarida Gandara Rauen, Festival de Curitiba 2005.

Realiza a direção artística da noite de lançamento do Projeto Poemas no ônibus 2005 para a CLL/SMC.

Dirige e produz a Noite do Livro 2003/2004/2005/2006, por ocasião da entrega do Prêmio Açorianos de Literatura, para a CLL/SMC.

Escreve, produz e dirige o espetáculo "Pé de Sapato" (2005), pelo qual ganha o Prêmio Tibicuera de Teatro 2005 de Melhor Dramaturgia Original.

Adapta o texto "A Tempestade", de William Shakespeare, para a Santa Estação Cia. de Teatro, direção de Jezebel De Carli.

Foi jurado dos Prêmios Tibicuera de Teatro Infantil, Açorianos de Artes Cênicas, Açorianos de Literatura e Concurso Histórias de Trabalho da SMC – Porto Alegre. 2002, 2003, 2005 e 2007.

Ministra a oficina Das páginas do livro à cena – a dramaturgia a partir de textos não-dramáticos, em diversas entidades e instituições do Estado.

Dirigu e adapta "O Homem da Cabeça de Papelão", do conto homônimo. Em 2012, adapta o texto "Marilu", de Eva Furnari, e dirige o espetáculo com o grupo Trompim Teatro.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

PROPRIEDADE CONDENADA e PREMIADA!!!

E no último dia 23 o Grupo Válvula de Escape participou do Festival Art in Vento na cidade de Osório. Levamos nosso mais recente trabalho ESSA PROPRIEDADE ESTÁ CONDENADA . Nos apresentamos para uma plateia lotada e receptiva e pós espetáculo tivemos um debate muito proveitoso com os jurados Sirmar Antunes, Vika Schabbach e Ana Zanandréa, no qual agradecemos imensamente todas as críticas.
A troca com os jurados em nossa opinião foi excelente, pois nosso trabalho segundo eles é experimental e de risco, um trabalho que plasticamente é impactante. Isso já foi de grande valia. 
E na noite de ontem  foi o encerramento do Festival Art in Vento- Festival de Teatro de Osório... Este é o primeiro trabalho de todo elenco, e o primeiro festival que participamos, e para a alegria de todos recebemos 9 indicações: 

Melhor Espetáculo 
Melhor Direção   Diego Ferreira
Melhor Atriz -  Letícia Pagot
Melhor Atriz - Gianna Soccol
Melhor Ator Coadjuvante - Miguel Zacouteguy
Melhor Figurino - Maria Correa Teixeira e Diego Ferreira
Melhor Cenário - Radamés Cristiano Paz e Diego Ferreira
Melhor Iluminação - Diego Ferreira
Melhor Trilha Sonora - Diego Ferreira

E para nossa surpresa e alegria recebemos três importantes prêmios:
 
Melhor Iluminação para Diego Ferreira (nunca tinha feito iluminação antes e na ausência do nosso iluminador fui obrigado a fazer com o mega auxilio do Constantino Mestre de Azevedo
Melhor Atriz para Gianna Soccol
Melhor Atriz para Leticia Pagot

Portanto pelo fato de estarmos estreando em festivais, saímos com orgulho e vitoriosos. 
Grato!!!

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

ESSA PROPRIEDADE ESTÁ CONDENADA em Osório



E amanhã os ventos vão nos levar até a cidade de Osório para apresentarmos ESSA PROPRIEDADE ESTÁ CONDENADA no Festival Art in Vento, Festival de Teatro da cidade de Osório. Nossa apresentação será as 15h na Câmara de Vereadores. 

Retrata a estória de Willie, uma menina de 13 anos envelhecida pelo tempo. Em um de seus devaneios ela encontra Tom, um garoto um pouco mais velho com quem compartilha sua infância de perdas, lembranças da irmã, sua realidade de ilusões e o ser mulher. O garoto e a menina se envolvem entre brincadeiras, esperanças e medos de Willie que trilha um caminho sem volta com um destino cruel que sempre a vai levando de volta para “casa” no fim do dia.

Partimos do texto como mote central e reconstruímos o universo da narrativa agregando textos de outros autores dando a encenação um ritmo ágil que a todo tempo constrói e reconstrói universos paralelos a narrativa da peça. O espaço intimista possibilita a compreensão mais sutil de intenções das personagens, sendo que a fantasia e a realidade estão todo o tempo entrelaçadas e colocadas em jogo. 
A brincadeira no trilho do trem torna-se pretexto para Willie e Tom, duas crianças na corda-bamba da adolescência, conhecerem-se de fato. A reflexão poética sugerida pela peça sobre o ciclo de vida e morte (em vida) é conduzida pelo “desenho da imaginação” das personagens, em jogo com os espaços percorridos ao longo do diálogo e das ações. A presença de fragmentos de outros textos na dramaturgia acentua a questão dos devaneios fantasiosos. Há um constante atrito entre realidade e ficção.

O espetáculo “Essa propriedade está condenada” trata especificamente da questão de afirmação de um casal de jovens Tom e Willie descritos na obra de Tenessee Willians. Na criação do Grupo Válvula de Escape esta visão é potencializada através da duplicidade dos personagens, interpretados por quatro atores, trabalhando a ambigüidade dos textos do autor e de novos fragmentos inseridos que trazem a encenação questionamentos de identidade, de criação de zonas de conflito entre ficção x realidade, sonho x realidade(s) questionando o que é realidade e ficção na vida dos personagens. Com isso o cenário é composto por portas e janelas de demolição, além dos objetos manipulados pelos atores em cena como um cubo de madeira, auxiliados por uma iluminação que se preocupa em criar estes ambientes do que é sonho, do que é real além de separar as zonas de atuação dos atores que permanecem o tempo todo em cena. Os figurinos acompanham este clima e são iguais para as atrizes que personificam “Willie” e para os atores que personificam “Tom” e caracterizam-se por tons terrosos, marrom e bege, criando figuras que não sabemos se estão vivas ou mortas, auxiliadas por maquiagens e cabelos fantasmagóricos inspirados em filmes de Tim Burton. A trilha sonora alterna canções executadas ao vivo pelos atores com trilhas selecionadas que compõe o clima onírico da encenação. 


ESSA PROPRIEDADE ESTÁ CONDENADA

Texto: Tennessee Williams 
Direção e Dramaturgia: Diego Ferreira 
Elenco:
Gianna Soccol 
Miguel Zacouteguy 
Radamés Cristiano Paz 
Leticia Pagot 
Iluminação: Diego Ferreira e Constantino Azevedo
Projeto Gráfico: Gianna Soccol 
Vídeos: Vitório Beretta
Figurinos: Maria Teixeira Corrêa e grupo 
Maquiagem: o grupo 
Trilha Sonora: Diego Ferreira 
Cenário: Diego Ferreira e Grupo 
Adereços: Maura Sobrosa Ramos 
Fotografias: Leandro de Oliveira e Diego Ferreira
Produção: Diego Ferreira
Realização: Grupo Válvula de Escape

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

OFICINA: FERNANDO ARRABAL: TEATRALIDADES CONTEMPORÂNEAS


INICIO DIA 03 de Setembro

Experimentação de um processo criativo em teatro. Estudo da presença cênica calcada na fisicalização do ator.  Diferenças entre cotidiano e extra cotidiano. Oficina teórico-prática com ênfase no trabalho do ator e da investigação da teatralidade da cena contemporânea. Através de uma pesquisa sobre a obra de Fernando Arrabal e o Teatro Pânico, o trabalho se desenvolverá a partir de experimentações calcadas na fisicalidade, aliados a leituras das obras de Arrabal, apreciação de filmes e materiais que auxiliarão na construção de um espetáculo teatral. Dialogar com pesquisadores como Josete Ferál, Patrice Pavis e Silvia Fernandes que versam sobre a teatralidade na cena contemporânea.

Ministrante: Diego Ferreira, Graduado em Teatro na UERGS. Professor de Teatro no Unilasalle, Unissinos e Galpão de Artes (Canoas). Diretor do Grupo Válvula de Escape. Escreve regularmente no blog OLHARES DA CENA
Venha experimentar 1 aula grátis!!!

De 03/09 a 17/12 das 21:30 hs as 23:30hs / Quintas-feiras 
Casa Tony Petzhold (Av. Cristóvão Colombo,400) 
Investimento: R$130,00
Público Alvo: Pessoas com expêriencia em teatro a partir de 15 anos
Informações: diegoferreira1@bol.com.br/ (51) 3268.9669 / (51) 8177.4446

sábado, 8 de agosto de 2015

ESSA PROPRIEDADE ESTÁ CONDENADA


Dias 27,28,29 e 30 de Agosto - (Quinta a Domingo) - 20hs
Sala Alváro Moreyra - Centro Municipal de Cultura
(Av. Érico verissímo,307)
ENTRADA FRANCA (Senhas no local a partir das 19h)

Este espetáculo foi contemplado pelo edital Teatro na Cia. concedido pela Coordenação de Artes Cênicas da Prefeitura Municipal de Porto Alegre Cultura

Retrata a estória de Willie, uma menina de 13 anos envelhecida pelo tempo. Em um de seus devaneios ela encontra Tom, um garoto um pouco mais velho com quem compartilha sua infância de perdas, lembranças da irmã, sua realidade de ilusões e o ser mulher. O garoto e a menina se envolvem entre brincadeiras, esperanças e medos de Willie que trilha um caminho sem volta com um destino cruel que sempre a vai levando de volta para “casa” no fim do dia.
Partimos do texto como mote central e reconstruímos o universo da narrativa agregando textos de outros autores dando a encenação um ritmo ágil que a todo tempo constrói e reconstrói universos paralelos a narrativa da peça. O espaço intimista possibilita a compreensão mais sutil de intenções das personagens, sendo que a fantasia e a realidade estão todo o tempo entrelaçadas e colocadas em jogo. 
A brincadeira no trilho do trem torna-se pretexto para Willie e Tom, duas crianças na corda-bamba da adolescência, conhecerem-se de fato. A reflexão poética sugerida pela peça sobre o ciclo de vida e morte (em vida) é conduzida pelo “desenho da imaginação” das personagens, em jogo com os espaços percorridos ao longo do diálogo e das ações. A presença de fragmentos de outros textos na dramaturgia acentua a questão dos devaneios fantasiosos. Há um constante atrito entre realidade e ficção.
Concepção do espetáculo: 
O espetáculo “Essa propriedade está condenada” trata especificamente da questão de afirmação de um casal de jovens Tom e Willie descritos na obra de Tenessee Willians. Na criação do Grupo Válvula de Escape esta visão é potencializada através da duplicidade dos personagens, interpretados por quatro atores, trabalhando a ambigüidade dos textos do autor e de novos fragmentos inseridos que trazem a encenação questionamentos de identidade, de criação de zonas de conflito entre ficção x realidade, sonho x realidade(s) questionando o que é realidade e ficção na vida dos personagens. Com isso o cenário é composto por portas e janelas de demolição, além dos objetos manipulados pelos atores em cena como um cubo de madeira, auxiliados por uma iluminação que se preocupa em criar estes ambientes do que é sonho, do que é real além de separar as zonas de atuação dos atores que permanecem o tempo todo em cena. Os figurinos acompanham este clima e são iguais para as atrizes que personificam “Willie” e para os atores que personificam “Tom” e caracterizam-se por tons terrosos, marrom e bege, criando figuras que não sabemos se estão vivas ou mortas, auxiliadas por maquiagens e cabelos fantasmagóricos inspirados em filmes de Tim Burton. A trilha sonora alterna canções executadas ao vivo pelos atores com trilhas selecionadas que compõe o clima onírico da encenação. 


ESSA PROPRIEDADE ESTÁ CONDENADA

Texto: Tennessee Williams 
Direção e Dramaturgia: Diego Ferreira 
Elenco:
Gianna Soccol 
Miguel Zacouteguy 
Radamés Cristiano Paz 
Leticia Pagot 
Iluminação: José Renato Lopes
Projeto Gráfico: Gianna Soccol 
Vídeos: Vitório Beretta
Figurinos: Maria Teixeira Corrêa e grupo 
Maquiagem: o grupo 
Trilha Sonora: Diego Ferreira 
Cenário: Diego Ferreira e Grupo 
Adereços: Maura Sobrosa Ramos 
Fotografias: Leandro de Oliveira e Diego Ferreira
Produção: Diego Ferreira
Realização: Grupo Válvula de Escape
Apoios: Grupo Trilho de Teatro Popular, Usina das Artes, Mainquest

APOIO: